Playlist

Playlist

Playlist

domingo, 25 de novembro de 2012

25 formas de ajudar outra pessoa.



Se queres que os outros sejam felizes, pratica a compaixão. Se queres ser feliz, pratica a compaixão." - Dalai Lama

A tendência na nossa sociedade tem sido para as pessoas estarem separadas umas das outras, estarem separadas da humanidade, e estarem a cada passo a tornarem-se cada vez menos humanos.

Os carros tiraram-nos das ruas onde costumava-mos cumprimentar as pessoas, parar para conversar. Pequenas divisões retiraram um pouco de humanidade no trabalho, assim como de certa forma também o fizeram as empresas e os computadores. A televisão prendeu-nos nas nossas salas de estar, em vez de sairmos com outras pessoas. Até as salas de cinema, onde muita gente se junta, retira-nos a possibilidade de conversar porque estamos a olhar para um ecrã gigante.

Enquanto não me estou a queixar contra algumas destas invenções (excepto talvez da sala minúscula no trabalho), o que devemos ter em conta é a tendência para o individualismo, para estarmos focados em nós mesmos e excluirmos outras pessoas. A tendência para estarmos a contribuir para o egoísmo em vez de darmos, de estarmos só a ajudar a nós próprios em vez de ajudarmos outras pessoas.

Não estou a dizer que somos todos assim, mas podemos ser, se não formos cuidadosos.

Por isso lute contra o egoísmo e a ganância, ajude alguém hoje. Não na próxima semana, mas hoje.

Ajudar outra pessoas, apesar de poder trazer alguns inconvenientes, tem humildes vantagens:

1. Fará sentir-se melhor.
2. Ligue-se a outra pessoa, pelo menos durante um momento, ou até para toda a vida.
3. Melhore a vida de outra pessoa, pelo menos um bocadinho.
4. Faça do mundo um lugar melhor, um pequeno passo de cada vez.
5. Se a bondade for transmitida, pode multiplicar-se, e multiplicar-se.

Por isso guarde alguns minutos de hoje e faça alguma coisa boa por outra pessoa. Pode ser um gesto pequeno, ou o início de algo grande. Peça aos outros para fazerem o mesmo. Coloque um sorriso na cara de alguém.

Não sabe como começar? Aqui fica um lista extremamente incompleta, apenas para o deixar a pensar - tenho a certeza que se pensar no assunto que se lembrará de milhares de outras ideias.

1. Sorria e seja amigável. Às vezes algo pequeno como isto pode colocar um sorriso ou um sentimento caloroso no coração de alguém e fará desse dia um dia melhor. Talvez essa pessoa faça o mesmo pelos outros.

2. Contacte uma organização acerca de voluntariado. Não precisa de ir para uma cantina hoje. Arranje o número, faça a chamada e marque um compromisso para fazer voluntariado na próxima semana. Pode ser qualquer organização que queira. Voluntariado é uma das coisas mais fantásticas que pode fazer.

3. Doe algo que já não use. Ou uma caixa cheia de coisas. Deixe-as numa instituição de caridade - outras pessoas podem-lhes dar bom uso.

4. Faça um donativo. Existem várias formas de poder fazer donativos online a instituições ou na sua comunidade local. Em vez de comprar para si um novo gadget ou um vestido, gaste esse dinheiro de uma forma mais positiva.

5. "Redireccione" prendas. Em vez de ter pessoas a dar-lhe prendas de aniversário ou Natal, peça-lhes para doarem as prendas ou dinheiro a uma instituição.

6. Pare para ajudar. Da próxima vez que vir alguém apeado com um pneu furado, ou a precisar de qualquer tipo de ajuda, pare e pergunte de que forma pode ajudar. Por vezes o que precisam é apenas de um empurrão, ou usar o seu telemóvel.

7. Ensine. Use algum tempo para ensinar alguma coisa que domine. Poderá ser a ensinar a sua avó a usar o email, ensinar o seu filho a andar de bicicleta, ensinar o seu colega de trabalho nalguma coisa que domine no computador, ensinar o seu companheiro ou companheira a limpar a casa de banho nojenta. OK, esta última não conta.

8. Conforte alguém em luto. Dê abraços, uma mão amiga, uma palavra carinhosa, esteja disponível para ouvir, será um longo caminho quando alguém perdeu uma pessoa que amava ou sofreu alguma perda ou tragédia semelhante.

9. Ajude a tomar uma atitude. Se alguém em luto parece perdido e não sabe o que fazer, ajude a tomar uma atitude. Poderá ser a tratar do funeral, a marcar uma consulta no médico, a fazer algumas chamadas. Não faça tudo sozinho - deixe-os fazer algo também, porque ajuda no processo de recuperação.

10. Compre comida para algum sem-abrigo. Dinheiro é sempre uma má ideia se for para ser usado em drogas, mas comprar uma sandwich e batatas fritas ou algo do género é um bom gesto. Seja respeitoso e amigável.

11. Ouça. Quase sempre quando alguém está triste, deprimido, zangado, ou frustrado apenas precisa de alguém que ouça. Disponibilidade e falar sobre algo é uma grande ajuda.

12. Ajude alguém no limite. Se alguém demonstra tendências suicidas, auxilie-o a arranjar ajuda. Se ela não o fizer, ligue você mesmo para uma linha de apoio ou um médico a pedir aconselhamento.

13. Ajude alguém a tornar-se activo. Alguma pessoa próxima que queira tornar-se mais saudável talvez precise de uma ajuda - ofereça-se para uma caminhada ou corrida, para irem para um ginásio juntos. Assim que essa pessoa começar, poderá ter efeitos importantes.

14. Elabore uma tarefa. Algo grande ou pequeno, como limpar ou lavar um carro, lavar a loiça ou cortar a relva.

15. Faça uma massagem. Apenas quando apropriado claro. Mas uma massagem poderá ir longe no que diz respeito a fazer alguém sentir-se melhor.

16. Envie um email simpático. Apenas uma pequena nota a dizer o quanto aprecia alguém, ou o quanto está orgulhoso, ou apenas a agradecer por algo que lhe fizeram.

17. Demonstre apreciação publicamente. Elogiar alguém num blog, em frente aos colegas de trabalho, em frente da família, ou noutra situação pública, é uma excelente forma de fazer os outros sentirem-se melhores.

18. Doe comida. Liberte a sua dispensa de coisas acumuladas ou compre um par de sacos de mercearia e doe esses sacos a algum sem abrigo.

19. Esteja por perto. Quando alguém que você conhece precisar, por vezes é bom estar próximo. Sente-se com essa pessoa. Converse. Ajude se conseguir.

20. Seja paciente. Por vezes as pessoas podem ter dificuldade a perceberem alguma coisa ou a aprenderem a fazer algo. Aprenda a ser paciente.

21. Seja tutor de uma criança. Isto talvez seja difícil nos dias que correm, mas talvez os pais possam contratar um tutor para o seu filho em dificuldades. Contacte uma escola e ofereça-se como voluntário para tutor.

22. Crie um pacote de ajuda. Sopa, material de leitura, chá, chocolate... qualquer coisa que ache que a outra pessoa possa precisar ou goste. Bom para alguém que esteja doente ou por exemplo a precisar que a vá visitar.

23. Empreste a sua voz. Muitas vezes os mais fracos, sem abrigos, negligenciados no nosso mundo, precisam de alguém que fale por eles. Não precisa de encarnar essa luta, mas juntar-se a outros numa petição, falar numa reunião, escrever cartas ou noutras circunstâncias que precisem de ser ouvidas.

24. Ofereça-se para babysitter. Por vezes os pais precisam de uma pausa. Se um amigo ou outra pessoa querida não tem essa oportunidade muitas vezes, ligue-lhe e ofereça-se para babysitter. Marque um encontro. Poderá fazer uma grande diferença.

25. Amor. Simplesmente arranjar formas de expressar o seu amor por outras pessoas, seja o seu parceiro, filho, outro familiar, amigo, colega de trabalho ou um completo estranho.... apenas expresse o seu amor. Um abraço, uma palavra amiga, despenda algum tempo, demonstre alguma bondade, seja amigo... tudo interessa mais do que pensa.

"Ate onde esta pequena vela consegue lançar os seus raios
assim brilha uma boa acção neste mundo tenebroso".
William Shakespeare




Fonte:http://perdagestacional.forumeiros.com/t944-25-formas-de-ajudar-outra-pessoa#5205

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um espaço verdadeiramente democrático , não limitamos e restringimos qualquer tipo de expressão , não toleramos racismo preconceito ou qualquer outro tipo de discriminação..Obrigado Claudio Vitorino

Claudio Vitorino em ação..

Postagens populares

Google+ Followers

Arquivo do blog

Claudio Vitorino em ação..

Aquele que acredita que o interesse coletivo está acima do interesse individual , que acredita que tudo e possível desde que tenha fé em Deus e coragem para superar os desafios...

Vida difícil? Ajude um estranho .

Pode parecer ilógico -no mínimo pouco prioritário- ajudar um estranho quando as coisas parecem confusas na nossa vida. Mas eu venho aprendendo que este é um poderoso antídoto para os dias em que tudo parece fora do lugar.

Como assim, pergunta o meu leitor mais cético? E eu explico:
Há duas situações clássicas onde podemos auxiliar uma pessoa que não conhecemos. A primeira é através de doações e gestos similares de caridade. Estes atos são maravilhosos e muito recomendáveis, mas não é deles que quero falar hoje.


Escolhi o segundo tipo: aquelas situações randômicas onde temos a oportunidade de fazer a diferença para uma pessoa desconhecida numa emergência qualquer. Na maioria das vezes, pessoas com quem esbarramos em locais públicos, envolvidas em situações que podem ir do estar atrapalhado até o precisar de mãos para apagar um incêndio.

E o que nós, imersos nas nossas próprias mazelas, distraídos por preocupações sem fim amontoadas no nosso tempo escasso, enfim, assoberbados como sempre... O que nós temos a ver com este ser humano que pode ser bom ou mau, pior, pode sequer apreciar ou reconhecer nosso esforço?


Eu vejo pelo menos seis motivos para ajudar um estranho:


1) Divergir o olhar de nossos próprios problemas
Por um momento, por menor que seja, teremos a chance de esquecer nossas preocupações.
Dedicados a resolver o problema do outro (SEMPRE mais fácil do que os nossos), descansamos nossa mente. Ganhamos energia para o próximo round de nossa própria luta.
Esta pausa pode nos dar novo fôlego ou simplesmente ser um descanso momentâneo.


2) Olhar por um outro ângulo
Vez ou outra, teremos a oportunidade de relativizar nossos próprios problemas á luz do que encontramos nestes momento. Afinal, alguns de nossos problemas não são tão grandes assim...
Uma vez ajudei Teresa, a senhora que vende balas na porta da escola de meu filho. A situação dela era impossível de ser resolvida sozinha, pois precisava “estacionar” o carrinho que havia quebrado no meio de uma rua deserta. Jamais esquecerei o olhar desesperado, a preocupação com o patrimônio em risco, com o dia de by Savings Sidekick">trabalho desperdiçado, com as providências inevitáveis e caras. E jamais me esquecerei do olhar úmido e agradecido, apesar de eu jamais ter comprado nada dela. Nem antes nem depois.
Olhei com distanciamento o problema de Teresa. E fiquei grata por não ter que trabalhar na rua, por ter tantos recursos e by Savings Sidekick">oportunidades. E agradeci por estar lá, naquela hora, na rua de pouco movimento, e poder oferecer meus braços para ela.


3) Não há antes, nem depois ...
Na intricada teia de nossos by Savings Sidekick">relacionamentos, dívidas e depósitos se amontoam. Ajudar um conhecido muitas vezes cria vínculos ou situações complexas. Ás vezes, ele espera retribuir. Outras vezes, esperamos retribuição. Se temos ressentimentos com a pessoa, ajudá-la nem sempre deixa um gosto bom na boca. Se ela tem ressentimentos conosco, fica tudo muito ruim também.
Já com estranhos são simples. É ali, naquela hora. Depois acabou. E não há antes. Que alívio!
(mas não vamos deixar de ajudar os conhecidos dentro de nossas possibilidades, hein?)


4) A gratidão pelo inesperado é deliciosa
Quem se lembra de uma vez em que recebeu uma gentileza inesperada? Não é especial? E nem sempre estamos merecendo, mal-humorados por conta do revés em questão.
Ou quando ajudamos alguém e recebemos aquele olhar espantado e feliz?
Ontem mesmo, eu estava numa fila comum de banco. Um senhor bem velhinho estava atrás de mim. Na hora em que fui chamada, pedi que ele fosse primeiro. “Mas por que, minha filha?”. “Pelos seus cabelos brancos”, respondi. Ele, agradecido, me deu uma balinha de hortelã. Tudo muito singelo, muito fácil de fazer, mas o sentimento foi boooom.


5) Quase sempre, é fácil de fazer.
Uma vez eu fiquei envolvida por uma semana com uma mãe e um bebê que vieram para São Paulo para uma cirurgia e não tinha ninguém para esperar no aeroporto. Levei para um hotel barato, acompanhei por uma semana e tive medo de estar sendo usada, reforçada pelo ceticismo de muitas pessoas ao meu redor. No final, deu tudo certo e a história era verdadeira.
Mas na maioria dos casos, não é preciso tanto risco ou tanto tempo. Uma informação; um abaixar para pegar algo que caiu; uma dica sobre um produto no supermercado. Dar o braço para um cego (nunca pegue a mão dele, deixe que ele pegue o seu braço, aprendi com meu experiente marido). Facílimo, diria o Léo. E vamos combinar, fácil é tudo que precisamos quando o dia está difícil, certo?

6) Amor, meu grande amor
Finalmente, ajudar estranhos evoca o nosso melhor eu. É comum termos sentimentos de inadequação, baixa auto-estima e insatisfação conosco quando estamos sob tempo nublado. E ajudar o outro nos lembra que somos bons e capazes. Ajudar um estranho demonstra desapego, generosidade, empatia pelo próximo. E saber que somos tudo isto quando o coração está cinza... É para olhar com orgulho no espelho, não?

Portanto, se hoje não é o seu dia... Faça o dia de alguém. E se é um dia glorioso... Vai ficar melhor!

Fonte:http://www.vivermaissimples.com/2011/03/vida-dificil-ajude-um-estranho.html

Karoline Toledo Pinto

Karoline Toledo Pinto
Karoline Agente Penitenciária a quase 10 anos , bacharelada no curso de Psicologia em uma das melhores Instituição de Ensino Superior do País , publica um importante ARTIGO SOBRE AS DOENÇAS QUE OS AGENTES PENITENCIÁRIOS DESENVOLVEM NO EXERCÍCIO DE SUAS FUNÇÕES . Aguardem em breve aqui será publicado .APESAR DAS PERSEGUIÇÕES INFUNDADAS DAS AMEAÇAS ELA VENCEU PARABÉNS KAROL SE LIBERTOU DO NOSSO MAIOR MEDO A IGNORÂNCIA CONTE COMIGO.. OBRIGADO CLAUDIO VITORINO

Filmes que mudarão sua vida..

  • A cor púrpora
  • A espera de um milagre
  • A procura da felicidade
  • A prova de fogo
  • Antes de partir
  • Desafiando gigantes
  • Ensina-me a viver
  • Paixão de Cristo

Postagens populares