Playlist

Playlist

Playlist

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Superlotação escancara falência dos presídios mineiros

                                Superlotação escancara falência dos presídios mineiros

Intervenção da Justiça para barrar entrada de novos detentos é mais uma prova da precariedade do sistema mineiro

luiz costa/arquivo
ceresp betim
O Ceresp de Betim, com capacidade para 400 presos, abriga 1.200 em instalações inadequadas


O sistema prisional mineiro está à beira de um colapso. Por causa da superlotação, a Justiça barrou, após intervenção do Ministério Público Estadual (MPE), o encaminhamento de presos para penitenciárias de Belo Horizonte e São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana. Segundo a Pastoral Carcerária, o problema tende a se agravar, pois as principais unidades da Superintendência de Administração Penitenciária (Suapi) também estão sobrecarregadas e não têm condições de absorver as transferências.

A “bola de neve” aumenta com a incapacidade orçamentária da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) em acabar com o déficit de vagas nas carceragens de Minas: são 14 mil, o mesmo registrado em 2003.

O filósofo Robson Sávio Reis Souza, especialista em segurança pública e pesquisador da PUC Minas, ressalta que a população carcerária mineira dobrou nos últimos oito anos, passando para mais de 48 mil presos. “Neste período, cerca de 25 mil vagas foram criadas no sistema penitenciário, mas o déficit ainda é de 14 mil, o mesmo do início de 2003. O custo de gestão do sistema é alto e a Seds não tem execução orçamentária para resolver esse problema”, afirma.

Segundo Robson, um preso chega a custar R$ 1.500 por mês. “A intervenção da Justiça deixa claro que houve uma saturação e que não é mais possível controlá-la. Mostra que o caos está instaurado”.

A Justiça vetou o encaminhamento de presos para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira, na região Oeste de BH, e para os presídios Bicas 1 e 2, em São Joaquim de Bicas. A coordenadora da Pastoral Carcerária em todo o Estado, Maria de Lourdes de Oliveira Silva, afirma que o MPE já foi notificado da superlotação de outras unidades, como o Ceresp Betim e o Presídio Inspetor José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, ambos na Região Metropolitana. O primeiro tem capacidade para 400 presos, mas aloja 1.200, enquanto o outro abriga 2.026 pessoas em um espaço ideal para 820. “A superlotação é gravíssima em quase todas as carceragens de Minas e a determinação judicial precisa ser estendida”, diz. O MPE não soube informar na segunda-feira (27) se há deliberações de promotores relativas às unidades citadas por Maria de Lourdes.

A Seds não quis informar ao Hoje em Dia para quais unidades prisionais os detentos alojados no Ceresp Gameleira, Bicas 1 e 2 estão sendo transferidos. Afirmou apenas que “a Suapi está reprogramando o fluxo de remanejamento de presos da Região Metropolitana de BH para outras unidades do sistema prisional”.



arte presídio

A secretaria também informou que “está com um projeto avançado no Ministério da Justiça, em busca de R$ 111 milhões que possibilitarão a abertura de cerca de 4.500 novas vagas no sistema prisional”. Para 2012, quatro ampliações em penitenciárias serão iniciadas, totalizando 1.184 vagas nos presídios Regional de Montes Claros, no Norte de Minas, Floramar, em Divinópolis, no Centro-Oeste, de Itajubá, no Sul de Minas, e Doutor Manuel Martins Lisboa Júnior, em Muriaé, na Zona da Mata. Serão abertas 296 vagas em cada um deles.

A Seds alega que também está ampliando o número de vagas com recursos próprios. Serão inaugurados o presídio de Oliveira, com 116 vagas, e o de Itaúna, com 302. No dia 15, foi inaugurado um anexo do Presídio de Três Corações, com 146 vagas.
Fonte:http://www.policiapenalmg.com
NOTA: Essa eu não poderia deixar passar assim não pra variar a realidade do sistema prisional em Uberlândia foi esquecida , como se aqui a situação estivesse normal isso pra variar , tem unidades aqui que esta com hiper população de presos e tem Diretor falando que está tudo normal , sem contar a carência falta de agentes que é muito grande . Isso pode passar em branco a situação em Uberlândia beira o CAOS  e existem algunsss?????? para aparecer  para a Secretaria de Estado falando que está tudo dentro da normalidade. Ah isso vai mudar mesmo divulguém esses dados vocês mesmos podem observarem que no gráfico não aparecem nosso dados . Por que? Por que exitem alguns DITADORES /????????? que se julgam verdadeiros DEUSES  e acham que está tudo normal . Acham que não sei que tem unidades aqui que apenas dois agentes abrem uma cela com 15 presos . Tem outra acham que isso não vai mudar... Acreditam serem INTOCÁVEIS .. Bem estou falando porque sou um agente CONTRATADO A MAIS DE DEZ ANOS .. ISSO TEM QUE MUDAR... DOA A QUEM DOER "E NÃO ADIANTA COLOCAR  CAPANGUINAS DO SI ATRAZ DE MIM , OU FICAREM ME LIGANDO DISFARÇANDO A VOZ TENTANDO ME PREJUDICAR"
OBRIGADO A TODOS
CLAUDIO VITORINO

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

PORTE DE ARMA DE AGEPEN - TJ-MG

EMENTA: APELAÇÃO CRIMINAL - ART. 14 DA LEI Nº. 10.826/03 - AUTORIA E MATERIALIDADE COMPROVADAS - AGENTE PENITENCIÁRIO - PORTE DE ARMA PARTICULAR, FORA DO LOCAL DE TRABALHO - PERMISSÃO, SE PREENCHIDO O REQUISITO PREVISTO NO ARTIGO 4º, INCISO III, DO ESTATUTO DO DESARMAMENTO - PREENCHIMENTO NÃO COMPROVADO - CONDENAÇÃO MANTIDA - ARMA DE FOGO DEVIDAMENTE REGISTRADA - RESTITUIÇÃO DETERMINADA .- A Lei nº 10.826/03, com a redação dada pela Lei nº 11.706/08, permite aos agentes penitenciários o porte de arma de fogo particular, em todo o território nacional, desde que comprovado o requisito previsto no artigo 4º, inciso III, do referido Estatuto, ou seja, comprovação da capacidade técnica e de aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo, atestadas na forma disposta no Decreto nº 5.123, de 1º de julho de 2004, em seu artigo 36, 'caput'.- Estando a arma de fogo de propriedade do agente devidamente registrada, deve ela lhe ser restituída, assim como seus acessórios.
APELAÇÃO CRIMINAL N° 1.0145.08.497040-2/001 - COMARCA DE JUIZ DE FORA - APELANTE(S): WESCLEY DE MOURA FAGUNDES – APELADO (A)(S): MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS – RELATORA EXMª. SRª. DESª. BEATRIZ PINHEIRO CAIRES.
ACÓRDÃO
(....)
Sendo assim, não se pode entender que o artigo 6º, § 1º, da referida Lei proíbe o porte de arma de fogo, ao agente penitenciário, quando não esteja exercendo suas funções  .

Fonte:http://www.policiapenalmg.com/2012/02/porte-de-arma-de-agepen-tj-mg.html

Preso se traveste de mulher para fugir de presídio

Em uma tentativa desesperada de fuga do sistema prisional, um jovem de 25 anos se vestiu de mulher, com um vestido florido, uma camiseta justinha e uma peruca. Jardiel Lopes foi descoberto na recepção do Baldomero Cavalcante, última barreira que o impedia de sair do complexo penitenciário.
Essa não foi a primeira vez que um detento tentou escapar se vestindo de mulher. “Nos últimos três anos barramos três pessoas aqui tentando escapar travestidos”, contou o agente.

Jardiel Lopes foi levado à Central de Polícia, no Prado; mas voltará ainda hoje devolta ao Baldomero Cavalcante.
O rapaz cumpria pena de 60 anos no Módulo I do presídio por sequestro, latrocínio e homicídio. Ante a perpectiva de passar pelo menos 30 anos de sua vida (pena máxima permitida no Brasil) longe de casa, pagando pelos crimes que cometeu, o jovem achou que a forma mais fácil de sair da prisão seria se travestindo.

“Provavelmente foi a esposa dele que lhe entregou essas roupas para facilitar a fuga, já que hoje foi dia de visitas”, disse o agente penitenciário (que preferiu não se identificar) que percebeu que a estranha “mulher” era, na verdade, Jardiel.

Jardiel Lopes foi levado à Central de Polícia, no Prado; mas voltará ainda hoje devolta ao Baldomero Cavalcante..


Fonte:http://www.policiapenalmg.com/2012/02/preso-se-traveste-de-mulher-para-fugir.html

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Escolas para Detentos

Nota: E certo que a educação e o conhecimeto liberta-rá a humanidade da ignorância . Não sou  nem um pouco contra a EDUCAÇÃO . Contudo não pude deixar de manifestar minha opinião quanto a PRESOS  e ter uma visão um pouco contrária a isso . Temos que investir nas pessoas para que elas não tenham que escolher o caminho da criminalidade . Temos que fazer o possível para que o cidadão tenha acesso a educação cultura e lazer antes que cometa um crime.. Não vai ser depois de grande que essa pessoa vai se transformar  de um dia para noite , ja dizia meu avô "cipó se torce enquanto ta verde , por que depois de maduro se você torcer ele quebra" . Além de tudo  no nosso País não se pensa em uma  prevenção séria , se gasta muito mais mantendo uma escola em uma ambiente prisional que uma em um bairro . O processo é mais lento e requer um esforço bem maior.  " falo isso não por informações ou dados jornalísticos que geralmente manipulam a realidade, falo isso por trabalhar em uma Unidade Prisional a mais de DEZ ANOS e ter vivencia REAL E VERDADEIRA sobre a questão mensionada. Obs : respeito opiniões contrárias desde que realmente conheçam a realidade.


Obrigado

Claudio  Vitorino

Homem é morto com vários tiros no bairro Osvaldo Rezende




A 32ª morte violenta em Uberlândia foi registrada na tarde deste sábado (25) no bairro Osvaldo Rezende, região central da cidade. Segundo a Polícia Militar, Jonathan Ferreira de Oliveira, 26 anos, estava sentado em frente a um ferro velho na rua Professora Minervina Cândido de Oliveira, quando foi abordado por dois homens em uma moto, que fizeram vários disparos e fugiram. Ele foi atingido na cabeça e no tórax e socorrido para o Pronto-Socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU), mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Fonte: Correio de Uberlândia

Caminhoneiro troca tiros com a PM e é baleado

Motorista do caminhão fura barreira da polícia e acaba baleado
Depois de se envolver em um acidente próximo ao Posto Espigão no bairro Osvaldo Rezende, região central de Uberlândia, durante a madrugada deste sábado (25), o motorista de uma carreta trocou tiros com a Polícia Militar e foi baleado.
Segundo informações da PM, o homem fugiu do local do acidente, furou vários cercos bloqueios feito pelos policiais e já na avenida Antônio Tomaz Ferreira de Rezende, no Distrito Industrial, região Norte, ele disparou três tiros contra a viatura da PM, que também realizou disparos de arma de fogo. Um tiro de raspão acertou o pescoço do motorista e outro o ombro esquerdo.
Ele foi socorrido e encaminhado ao Pronto-Socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (PS/HC/UFU), onde ficou internado sob escolta policial até o final da manhã de hoje. Em seguida, ele foi conduzido a 1ª Delegacia de Polícia Civil para ser ouvido pelo delegado de plantão.
A PM informou ainda que dentro da carreta foram encontradas várias latas de cerveja e há suspeita de que ele estivesse alcoolizado.
O veículo ficou parado na contramão da avenida Antônio Tomaz Ferreira de Rezende e duas viaturas da PM estiveram no local para controlar o trânsito, que precisou ser interditado. Foi necessário jogar serragem na pista para evitar acidentes, depois que o óleo do motor do caminhão vazou pela avenida.
 
 
Fonte:http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/caminhoneiro-troca-tiros-com-a-pm-e-e-baleado/

Em janeiro foi registrado um homicídio a cada dois dias

A patrulha deverá atuar em parceria com a Delegacia de Homicídios, disse o coronel
O primeiro mês de 2012 registrou, em Uberlândia, 16 mortes violentas, quase um a cada dois dias de janeiro. O dado corresponde a dois assassinatos a mais dos que os registrados no mesmo período do ano passado e, para que os índices de criminalidade não se acentuam daqui para frente, os órgãos de defesa social devem traçar planos para a segurança pública do município.
A Polícia Militar (PM), por exemplo, já foi autorizada pelo comando de Belo Horizonte (BG) a implantar uma Patrulha de Prevenção a Homicídio (PPH) em Uberlândia. A patrulha já está presente em outras cidades de porte médio do Estado, como Juiz de Fora e Divinópolis.
Segundo o comandante da 9ª Região de Polícia Militar (PM), coronel Dilmar Fernandes Crovato, o grupo específico será responsável por trabalhar diretamente nas áreas consideradas de risco, mas não substituirá o Grupo Especializado em Policiamento de Áreas de Risco (Gepar).
Hoje, segundo ele, o geoprocessamento aponta os bairros da zona Oeste como pontos onde há maior incidência de óbitos por violência e, com a situação, a necessidade de implantar policiais especializados no levantamento prévio, com objetivo do trabalho ostensivo, de informações ligadas aos assassinatos.
“Ainda estamos em fase de seleção dos militares e, em breve, começaremos um treinamentos específico. A patrulha deverá atuar em parceria com a Delegacia de Homicídios”, disse o coronel. Ele não quis informar uma da data específica para que a PPH comece a funcionar efetivamente, mas alegou que ocorrerá “em breve”, ainda no primeiro semestre.
Já a Polícia Civil (PC), conforme a delegada regional Márcia Regina Pussoli, ainda deve reunir os delegados competentes na apuração da modalidade de crime para traçar estratégias. Mudanças que colaborem com a estrutura da Delegacia de Homicídios podem ocorrer, mas o caso só será analisado quando a chefia do 9º Departamento da Polícia Civil retornar das férias.

Anuário

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds-MG) informou à reportagem, por meio da assessoria de comunicação, que deverá apresentar o planejamento, contemplando as questões operacional, estrutural e social, de segurança pública para Uberlândia e região daqui, no máximo, duas semanas.
O planejamento, que contempla toda a rede de Defesa Social (Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Sistema Prisional) será apresentado pelo secretário Lafayette Andrada simultaneamente com o “Anuário de Informações Criminais 2011”, que revelam os índices registrados em todo o Estado de Minas Gerais.

PPH

As vítimas de mortes violentas, em sua maioria, são envolvidas com a criminalidade e não procuram os órgãos de segurança, quando intimidadas ou ameaçadas, para colaborarem com a prevenção, segundo o comandante da 9ª RPM, Dilmar Crovato. “Mas isso não nos exime da responsabilidade”, disse.
Segundo ele, a Patrulha de Prevenção a Homicídio (PPH), a ser implantada na cidade, também servirá para estratificar informações de crimes como lesão corporal, ameaças, disparos de armas de fogo, homicídios tentados e consumados, orientando todo o sistema de Defesa Social da cidade. Para isso, fará intervenções e visitas preventivas a endereços ou locais onde ficam infratores.
 
 
FONTE:http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/em-janeiro-foi-registrado-um-homicidio-a-cada-dois-dias/

HC-UFU vai iniciar transplante de fígado neste 1º trimestre

As cirurgias de transplante de fígado no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) começarão a ser feitas ainda no primeiro trimestre deste ano. A informação foi confirmada pelo médico coordenador regional do MG Transplantes, Thomson Marques Palma, que será o responsável técnico da equipe que fará os procedimentos cirúrgicos. Para o início das atividades falta a vinculação de alguns membros da equipe com o HC-UFU, que foi credenciado pelo Ministério da Saúde para este tipo de transplante em julho do ano passado.
A equipe responsável pelos procedimentos já está formada e conta com dez profissionais. Alguns são do HC-UFU e outros são de Ribeirão Preto (SP), São Paulo e Belo Horizonte, todos credenciados pelo Ministério da Saúde. Quanto à estrutura, como salas de cirurgia e leitos de UTI, segundo o coordenador regional do MG Transplantes, o HC-UFU tem capacidade para atender à demanda.
Desde o ano passado, o HC-UFU faz a captação de fígados e, pelo fato de não realizar o transplante, os órgãos têm sido enviados para hospitais no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e São Paulo. Em 2011, 30 fígados foram captados em Uberlândia.
Segundo Thomson Marques Palma, hoje não existem números exatos de quantas pessoas necessitam de um fígado na região oeste do Estado, composta por 87 cidades, entre elas Uberlândia. “Não temos como contabilizar, pois todos os que necessitam de um fígado entram nas filas de espera pelo órgão (MG Transplantes) em outros locais”, disse. O Estado de São Paulo é o que possui o maior número de cadastrados: ao todo possui 2 mil dos 3,5 mil pacientes à espera de um fígado no Brasil.
Por meio da Assessoria de Imprensa, o HC-UFU afirmou que tem interesse que as atividades comecem no primeiro trimestre deste ano e que o hospital tem a estrutura necessária para fazer os transplantes, mas, ainda de acordo com o HC-UFU, por questões burocráticas, pode ser que o prazo para o início das atividades seja estendido.

Região Oeste de Minas

Em 2011, o número de doadores de múltiplos órgãos humanos, na região oeste do MG Transplantes, que inclui Uberlândia, aumentou cerca de 33%, de 27 para 36 doadores. Mesmo assim, o índice de doadores por milhão de habitantes ainda está abaixo da meta estipulada pela Organização Mundial de Saúde (OMS): hoje, a média regional é de 14,4 doadores por milhão de habitantes, mas, segundo a OMS, deveria ser de 20 por milhão. De 2007 para 2011, o crescimento do número de doações foi de 157% (veja a tabela), passando de 14 para 36 doadores.
Segundo Thomson Marques Palma, coordenador regional do MG Transplantes, a meta da OMS deve ser atingida em 2012. “Para conseguirmos basta atingir o número de 50 doadores no ano, um crescimento de cerca de 38%”, afirmou.
Hoje, o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) e o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em Uberaba, são responsáveis por 90% dos transplantes de órgãos humanos na regional oeste do MG Transplantes.
Em 2011, foram realizados 190 transplantes de córneas e 62 de rins na região.

Aprovação de famílias têm crescido


Hospital apenas captava os órgãos, mas eram enviados para outros estado
Para a captação de órgãos humanos, o doador deve ser vítima de morte encefálica – quando o paciente tem a perda definitiva e irreversível das funções cerebrais, mas os outros órgãos seguem em funcionamento. Porém, para a doação, não basta apenas o desejo do doador em vida. É preciso que a família concorde com a situação, o que já foi uma barreira.
Segundo Thomson Marques Palma, coordenador regional do MG Transplantes, esta situação tem mudado. No ano passado, de 20 casos de pacientes que cumpriram o protocolo de morte cerebral no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), em 19 casos, as famílias aceitaram a doação dos órgãos.
“A população está comprometida com a causa. O que falta é uma política de conscientização. Dentro das unidades de saúde, isso precisa mudar, porque é lá que os profissionais vão identificar possíveis doadores. Das 87 cidades da regional, apenas seis registraram possíveis doadores em 2011”, afirmou Thomson Marques Palma.

Jovem ficou 10 anos na espera

Desde o primeiro mês de vida, Talyta Cristina de Souza Fontes, 17 anos, sofre com problemas renais. As idas e vindas do hospital sempre foram frequentes. Aos 6 anos, ela começou a fazer diálise peritoneal – terapia de substituição renal que faz a depuração do sangue – e, aos 14 anos, hemodiálise – procedimento realizado quando o paciente já tem menos de 15% da função renal.
Para a jovem, que até o começo deste ano era uma das pessoas da região que precisavam de uma doação de órgão humano, o dia 11 de janeiro de 2012 ficará marcado para sempre como a data em que foi dada a ela a notícia de que receberia a doação de rim. Seus parentes também dizem que não vão esquecer esse momento.
“Quando soubemos, comemoramos muito. Enfim, minha filha vai sair desta situação. Depois disso, viemos direto para o hospital e ela fez a cirurgia. Agora, a Talyta se recupera. Para mim, ela nasceu de novo”, disse a mãe da jovem, Rosângela Fontes, 48.
Depois de pelo menos 10 anos de espera, Talyta, que cursa o sétimo ano do ensino fundamental, afirmou já ter um desejo para quando sair do hospital. “Quero beber muita água, refrigerante e milk-shake, coisas que nunca pude fazer”, disse.
O órgão doado para Talyta era de um garoto de 15 anos de idade que morreu após um acidente automobilístico em Uberaba.

MG Transplantes – Região Oeste

- Captação de órgãos (Doadores de Múltiplos Órgãos)
2007 – 14 doadores
2008 – 16 doadores
2009 – 13 doadores
2010 – 27 doadores
2011 – 36 doadores
2012 – Meta de 50 doadores*
*Expectativa do coordenador do MG Transplantes, Thomson Marques Palma
- Média de doadores de órgãos
MG Transplantes – Região Oeste – 14,4 por milhão de habitantes
Minas Gerais – 9,6 por milhão de habitantes
Brasil – 10,8 por milhão de habitantes
Meta da OMS – 20 por milhão de habitantes
- Doações e Transplantes
MG Transplantes – Região Oeste
* Córneas
- Doações
2010 – 444
2011 – 390
- Transplantes
2010 – 192
2011 – 190
* Rins
- Doações
2011 – 72 órgãos
- Transplantes
2010 – 56
2011 – 62
- Abrangência do MG Transplantes
Região Oeste
87 municípios (situados na região de Uberlândia, Uberaba, Ituiutaba, Patos de Minas e Unaí)
População de 2,5 milhões de habitantes
8 equipes de transplantes de córnea
3 equipes de transplantes renais
1 equipe de transplantes de fígado


Fonte:http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/hc-ufu-vai-iniciar-transplante-de-figado-neste-1%c2%ba-trimestre/

Transplantado diz que nasceu de novo após receber um rim.

O médico Thomson Marques, coordenador regional do MG Tranplantes, confirma o aumento do número de órgãos transplantados.

A história de vida do comerciante uberlandense, José Eurípedes Pereira, de 66 anos, pode ser dividida em duas partes: antes e depois do dia 30 de julho de 2011. Foi nesta data que ele, após cinco anos na fila de espera, foi submetido ao tão esperado transplante de rim, órgão considerado vital para sua sobrevivência. O caso de José Pereira está entre os 23.397 transplantes realizados no Brasil em 2011 e comemorados, pelo Ministério da Saúde, como um novo recorde. Segundo dados do governo federal, o número representa 124% a mais em relação a 2010, ano em que foram realizados 10.428 transplantes, ou seja, menos da metade que no ano passado.
Se houve aumento no número de transplantes no país é porque também aumentaram o número de doadores. Nesse contexto, Uberlândia tem se destacado, conforme explica o médico Thomson Marques Palma, que é o coordenador da regional do Complexo MG Transplantes da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) em Uberlândia. Ele informou que a cidade apresenta índices de doação de múltiplos órgãos maiores que os registrados em Minas Gerais e no país.
Segundo o médico, em 2011, enquanto o índice nacional foi de 9,9 doadores por milhão de população (PMP) – medida preconizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – e o de Minas Gerais na ordem de 10,5 doadores, Uberlândia alcançou a marca de 14,4 PMP. Mas, para que esse número permaneça estável e até aumente. “é fundamental que a família esteja conscientizada para importância da doação. “No ano passado, em Uberlândia, por exemplo, apenas 5% das famílias de pacientes com morte encefálica – possível doador de múltiplos órgãos – se recusaram autorizar a doação”, disse Thomson Palma.
A boa notícia é que o Ministério da Saúde anunciou que pretende atingir a meta de chegar a 15 doadores de órgãos por milhão de população, em todo o território nacional, até 2015, e, com isso, aumentar a esperança de milhares brasileiros que aguardam na fila à espera e ainda não tiveram a mesma sorte que José Eurípedes Pereira.
Angústia
O comerciante José Eurípedes Pereira considera o dia 30 de julho de 2011, data em recebeu o transplante de um rim em cirurgia realizada no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU), como o começo de uma nova vida. “Em 2006, entrei na lista de espera do transplante de rim e comecei os tratamentos. Meu organismo se descontrolava e reagia mal por diversas vezes. O apetite, por exemplo, desaparecia e demorava dias para voltar. Hoje tenho tempo livre para mim e posso sair de casa”, disse o comerciário, que se preocupa apenas em tomar a medicação diária contra a rejeição pós-transplante.
Nos últimos cinco anos da vida de José Eurípedes Pereira até o dia em que recebeu um novo rim, ele conheceu da forma mais dolorosa possível as três formas de dar sobrevida a um doente renal crônico. O paciente que padece desse mal, para que tenha uma melhor qualidade de vida, tem como opções três tipos de intervenção: a hemodiálise (filtração do sangue por via venosa), a diálise peritoneal (filtração pelo abdome) e, em último caso, o transplante para implantação de um novo rim que, numa explicação resumida, tem a responsabilidade de filtrar o sangue e eliminar na urina as impurezas e o excesso de líquido do organismo.
A cirurgia de José Pereira foi realizada pelo Sistema Público de Saúde (SUS), que financia 95% dos transplantes feitos no Brasil. O SUS também subsidia os medicamentos para os pacientes que realizarão as cirurgias.

MG Transplantes voa para ajudar pacientes a ter uma nova chance

O MG Transplantes possui seis centrais de notificação, captação e doação de órgãos (CNCDOs). Além de Uberlândia (CNCDO oeste), que atende a 87 municípios, que englobam um total de 2,5 milhões de habitantes, existem as centrais de Montes Claros (nordeste), Governador Valadares (leste), Pouso Alegre (sul), Juiz de Fora (Zona da Mata) e Belo Horizonte (região metropolitana).
O médico Thomson Marques destaca que o MG Transplantes faz uso do serviço de transporte aéreo 24 horas, caso seja necessário encaminhar órgãos para diferentes regiões do estado. “Quando surge um órgão de um doador a ser transplantado, o sistema nacional usa a lista única de transplantes para priorizar a região. Se não há receptor compatível, o órgão cai na relação estadual e, assim por diante, para o restante do país”, disse.
Paciente aguarda há quase três anos
O ex-funcionário gráfico Adriel Silva Santiago, de 47 anos, levava uma vida normal até julho de 2009. Foi quando, assim como o comerciante José Eurípedes Pereira, teve que iniciar o tratamento de hemodiálise, entrando numa rotina que o levou, inclusive, a se aposentar precocemente do trabalho.
Nesses quase três anos, Adriel Santiago vive a expectativa do que é estar na lista de pacientes à espera de um transplante de rim. Sua rotina divide-se em fazer a hemodiálise e ficar atento ao telefone na esperança de que o aparelho toque a qualquer hora e alguém do outro lado anuncie o surgimento de um doador. “Minha rotina mudou completamente. Tenho uma filha de 10 anos, mas também preciso me cuidar, fazer a hemodiálise todas as semanas e tomar medicamentos para que não piore meu estado de saúde”, disse.

Nota: Muito importante esse ato de DOAÇÃO, devemos comentar mais , comentar com nossos amigos ser um multiplicador desse ato.

Claudio Vitorino



Fontehttp://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/transplantado-diz-que-nasceu-de-novo-apos-receber-um-rim/

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Após se entregar, Mizael Bispo chega à Corregedoria da Polícia Militar

Ele será ouvido, fará exame de corpo de delito e depois seguirá para o presídio
Após se entregar à Justiça, Mizael Bispo, acusado de matar a ex-namorada Mércia Nakashima, estava na Corregedoria da Polícia Militar por volta das 20h desta sexta-feira (24). O policial militar reformado será ouvido, fará exames de corpo de delito e ainda hoje seguirá para o presídio Romão Gomes, destinado a policiais militares. As informações foram confirmadas pela PM na noite desta sexta.

Mais de um ano após ter tido sua prisão decretada pela Justiça, o policial militar reformado se entregou à Justiça na tarde desta sexta.Mizael teria se entregado por volta das 18h, no Fórum de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Em entrevista ao R7 no início desta noite o advogado da família de Mércia Nakashima, Alexandre de Sá Domingues, afirmou que Mizael Bispo se entregou porque “acabou seu fôlego para continuar fugindo”. Segundo Domingues, Mizael “tinha todos os passos monitorados pela polícia e não tinha mais para onde correr”.

- Não foi exatamente uma surpresa porque a polícia acompanhou muito de perto os passos dele. Acabou o fôlego para ele continuar fugindo. Ele se entregou porque não tinha mais para onde correr, não foi por arrependimento, ou algo do tipo. Acabaram os lugares para ele se esconder.

Ainda de acordo com Domingues, várias vezes a polícia localizou onde Mizael passou durante a fuga, mas ele sempre “estava um passo à frente”.

- Várias vezes a polícia localizou onde ele estava. O importante é que o resultado aconteceu. Agora vamos aguardar. Com as provas, a certeza da família é de que ele seja condenado.

Acusação

Mizael Bispo é acusado de ter assassinado sua ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima, em 2010. Mércia desapareceu no dia 23 de maio de 2010 depois de visitar a casa da avó, em Guarulhos. As últimas imagens dela em vida foram feitas pelo circuito interno do elevador do edifício da avó.

O corpo de Mércia foi encontrado no dia 11 de junho em uma represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. Ela foi reconhecida pelas roupas, sapatos e formato dos dedos. Um dia antes, o carro da advogada foi achado no mesmo local.

No dia 6 de dezembro de 2011 completou um ano do decreto da prisão de Mizael Bispo. Na ocasião, a família de Mércia afirmou que a influência da Mizael, por ter sido policial militar e ser advogado, era um dos motivos que o mantinham desaparecido.

Mizael Bispo se entrega em Guarulhos-SP

O advogado e ex-policial militar Mizael Bispo, acusado pela morte da ex-namorada Mércia Nakashima, se entregou nesta sexta-feira (24). Segundo informações iniciais, ele se apresentou no Fórum de Guarulhos, na Grande São Paulo, na tarde de hoje.

Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/mizael-bispo-se-entrega-guarulhos-sp-211100757.html

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Sancionada lei que institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase)

Sancionada lei que institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase)


A presidenta Dilma Rousseff sancionou nesta quarta-feira (18) a lei 12.594, que institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). O texto regulamenta a execução das medidas socioeducativas destinadas a adolescentes que estejam em conflito com a lei. A lei, que foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (19), entra em vigor em 90 dias.

O Sinase busca uniformizar, em todo o País, o atendimento aos adolescentes em conflito com a lei e o processo de apuração de infrações cometidas. O projeto de 88 artigos, aprovado pelo Congresso Nacional em dezembro do ano passado, estabelece as medidas socioeducativas que devem ser adotadas para recuperar os adolescentes.

De acordo com a ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), com a reformulação da lei, o Estado brasileiro passa a contar com um mecanismo legal que possibilitará a efetiva ressocialização dos jovens em conflito com a lei. “Com essa mudança, haverá uma reformulação tanto da estrutura física das unidades socioeducativas, quanto do atendimento ao menor infrator. Serão combinadas ações que vão desde a área da saúde, assistência social, educação e profissionalização”, afirmou a ministra.

Rosário explicou ainda que entre as principais mudanças trazidas pela reformulação do Sinase está a adoção de medidas alternativas à internação de menores. “Todo o sistema será focado nas necessidades dos jovens. A partir de agora, haverá maior utilização de medidas reparadoras. Ou seja, dependendo do tipo de infração, o jovem poderá prestar serviços à sociedade, por exemplo. Isso, com certeza, é muito mais educativo do que manter este adolescente em privação de liberdade”, defendeu.

Segundo a secretária nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmen de Oliveira, atualmente, o país têm cerca de 18 mil jovens em regime fechado. Ainda segundo a secretária, até 2010 havia um total de 435 unidades socioeducativas no país. Dessas, cerca de 60 foram construídas ou reformadas nos últimos cinco anos, já prevendo adequações ao Sinase.

Mudanças - O Sinase recomenda que a aplicação da pena seja individualizada, levando em conta condições como doenças, deficiências ou dependência química. Durante o debate. A lei ainda garante que os jovens tenham acesso à educação, capacitação profissional, e retornem à escola pública assim que terminar o período nas unidades de internação.

Outra novidade dá aos jovens casados ou que tenham um relacionamento estável o direito a visitas íntimas. Essas visitas, explicou a ministra, só serão permitidas mediante uma autorização do juiz responsável pelo acompanhamento da sentença à qual o jovem está submetido. A lei do Sinase tramitou no Congresso Nacional por 4 anos.

Fonte: SDH - 19/01/2012

Advogado: menor não pilotou jet ski que matou menina de 3 anos

Advogado: menor não pilotou jet ski que matou menina de 3 anos


Maurimar Bosco disse que garoto apenas ligou o veículo inadvertidamente

RIO - O advogado Maurimar Bosco Chiossi, contratado pela família do adolescente acusado de pilotar o jet ski que atropelou menina de 3 anos em praia do litoral de São Paulo, disse que o garoto apenas ligou o veículo, mas não o pilotava.

- Ele deu a partida inadvertidamente, sem conhecimento do funcionamento da máquina. Foi quando o jet ski se projetou para a praia, sem piloto. Foi a primeira e única vez que ele ligou o aparelho - afirmou o advogado.

Segundo Chiossi, o equipamento de segurança do jet ski não funcionou, já que o veículo deveria rodopiar e não se projetar para a frente.

- Pode ter havido um dano mecânico. Foi um acidente fatídico - afirmou.

O advogado afirmou ainda que o jet ski pertence aos padrinhos do adolescente, e foi colocado na água por um funcionário do condomínio onde estavam hospedados. Na hora em que teria ligado o veículo, o adolescente estaria sozinho. O advogado disse que os pais do garoto estavam em Mogi das Cruzes, região metropolitana de São Paulo, onde vivem.

Ainda de acordo com o advogado, o adolescente estava com um colega, que não foi identificado. Chiossi disse também que o adolescente ficou desesperado após o acidente e foi ao encontro dos padrinhos.

Se ficar comprovado que o adolescente ligou o jet ski sozinho, ele pode ser punido por ato infracional, já que é menor de idade (o ato infracional corresponde, para o menor, ao crime, no caso do adulto), informou o delegado Marcelo Rodrigues. Segundo ele, quem entregou o jet ski ao adolescente também pode ser responsabilizado por homicídio culposo.

O Globo

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Prouni será aplicado para detentos de Minas Gerais

De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais, onze presos de duas unidades prisionais receberam bolsas de estudo do Prouni.

Essa iniciativa faz parte do projeto Ressocialização de Detentos de Minas.

Esse projeto dá direito aos presos de estudarem e garantirem um futuro profissional.

Eles escolheram os cursos de Ciências Econômicas, Comunicação, Marketing e Tecnologia da Informação.

Os detentos farão as provas dia 29 de Fevereiro e iniciarão os cursos dia 07 de Março.

Os cursos serão ministrados pelo sistema EAD através de computadores e com o acompanhamento de uma pedagoga.

É a educação e a formação profissional chegando aos presídios de Minas, trabalhando na recuperação das pessoas e reinserção com dignidade na sociedade.

Fernando Becasse – Relacionamento com o mercado – Curso Certo



Fonte: http://www.cursocerto.com.br/index.php?area=noticias&sub=ler&idNoticia=2308


Nota: No tempo certo irei comentar ações como estas.... AGUARDEM   .


OBRIGADO


CLAUDIO VITORINO

DESAPARECIDA...VAMOS DIVULGAR O MÁXIMO POSSÍVEL..

Por favor,mandem para todo mundo q vc conhece.se for de outra cidade...melhor ainda.Ela foi pro cinema e na volta qdo a mãe da coleguinha deixou-a na porta do prédio,não esperou entrar e ai...nunca mais.!15 dias desaparecida.




Fotos do mural
ELA É A FILHA DO ENGENHEIRO JULIO CESAR FLORES BORRAZ,
POR FAVOR REENVIA, NÃO ...TE CUSTA QUASE NADA..! OBRIGADO.
Passe foto a todo o mundo, nunca se sabe......
Por favor, olha a foto, lê a mensagem de uma mãe desesperada e passa foto a todos seus contatos

Minha filha tem 13 anos, Ashley Flores, está desaparecida desde duas semanas. Pode acontecer que se todos passarem esta mensagem, alguma pessoa reconhecerá ela. Pessoas descobriram este método. Internet circula no mundo inteiro... por favor, passa esta mensagem a todos seus contatos. Graças a tudo isso pode-se achar minha menina.
Eu peço a todos, eu imploro a todos, por favor passe esta imagem a todas as possíveis pessoas. Ainda não é tarde por favor, me AJUDE. Sim se você tiver informação, contata-se com: HelpfindAshleyFlores@yahoo.com só precisa de 2 minutos necessários para fazer circular esta mensagem. Se fosse seu filho você faria até coisa impossível para obter ajuda.

Deus premiará a tua bondade







--
Att:.
Nayelle Line
(64)9227 9353


--
Att.:
Jaqueline Prudente
Coordenadora de HBO
Drogarias Arco-Íris
(64) 3404 8946
(64) 9935 1972
(64) 3433 4800 Fax

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A HORA...

 
 
 
Nara Rubia Ribeiro
 
 
A HORA

A porta do tempo é opaca
Mas menino a viu entreaberta.
Foi espiar.
“- Mãe, cada minuto é feito de sessenta borboletas coloridas
Que voam depressa pra todo lugar.”
A mãe sorriu.
“- E qual a estrutura da hora, filho?”
“- A hora, mãe, é quando a matemática das borboletas se junta
... E elas seguram as asas umas das outras
Como se fosse a humanidade inteira... “
A humanidade inteira,
Essa é a hora.

Nara Rubia Ribeiro

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Rede Globo é expulsa por Policiais em greve no Rio de Janeiro

Nota: Está emissora sempre fez uma "lavagem cerebral " na sociedade brasileira  , fazem um Jornalismo tendencioso e com um jogo enorme de interesses. A  "VERDADE"  sempre dita segundo seus interesses particulares ou daqueles que sempre dominaram o pais. Está  passando da hora que sejamos realmente informados de maneira correta e transparente . Vamos mostrar por exemplo a REALIDADE DO SISTEMA PRISIONAL EM MINAS GERAIS  . Fiquem atentos quanto a informações INFUNDADAS  E INCORRETAS.  HÁ ISSO VAI MUDAR MESMO..


CLAUDIO VITORINO

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Vítimas ajudam na localização de assaltantes. Uberlândia Minas Gerais



Nota : Na verdade foi um Agente Sócio Educativo que participou e colaborou com a Operação que terminou com a aprensão do menor . Este agente me autorizou a postar a matéria . Conheço este profissional sendo o mesmo altamente treinado e qualificado . Posuindo diversos cursos de Imobilizações Táticas  e MEAF ( Manuseio e Emprego de Arma de Fogo) .. Obrigado: Nuber Martins por sua coragem , agilidade . Toda a população de Uberlândia te parabeniza por este ato...

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Justiça Militar decreta prisão de 11 líderes da greve da polícia no Rio





A Justiça Militar expediu, nesta sexta-feira, 11 mandados de prisão contra os principais líderes do movimento grevista da polícia e dos Bombeiros, no Rio de Janeiro, segundo o porta-voz da PM, coronel Frederico Caldas.

A informação foi divulgada pelo coronel durante entrevista à Globonews, na manhã desta sexta-feira. Segundo o porta-voz, a medida imediata serve para frisar que a polícia não vai aceitar "ações contrárias à disciplina" e nem "tolerar que policiais cruzem os braços". O coronel explica que há três semanas o comando da polícia está monitorando a movimentação de greve e mapeamento os principais líderes. "Não vamos permitir que o sentimento de insegurança seja difundido na população do Rio", garantiu. O coronel chamou os líderes grevistas de "irresponsáveis" e "baderneiros".

Em nota, o Comando da Polícia Militar garantiu a normalidade dos serviços em todo o estado. Segundo o coronel Frederico Caldas, houve "casos isolados" no interior do estado, onde policiais abandonaram o trabalho, mas a situação já foi resolvida. A assessoria da Polícia Civil também informou que não há registros de paralisação dos serviços ou falta de atendimento nas delegacias do Rio.
Do Estado de Minas

Confederação da Polícia Civil decide por greve nacional..

Dirigentes de sindicatos de policiais civis de todo o Brasil reunidos em assembleia em Brasília decidiram, na tarde desta sexta-feira, por uma paralisação nacional, em data ainda a ser definida. A decisão pelo indicativo de greve precisa ser referendada pela categoria em cada estado.

"O desejo aqui foi pela paralisação, acredito que isso surgirá nos estados também – disse o presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), Jânio Bosco Gandra.

Segundo ele, os policiais querem a aprovação da Lei Orgânica da Polícia Civil, que estabelece um plano de cargos unificado nacionalmente, a regulamentação do direito à greve e a aposentadoria especial, além da aprovação da PEC 446, que institui o piso nacional para policiais civis.

A Confederação promete uma manifestação pacífica. "Vamos manter os 30% do contingente trabalhando", mas, é claro que uma greve nacional pressiona o governo, já que ′não tem Força Nacional de Segurança para enviar para todos os estados`.

Da Agência O Globo

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Jovem é condenada à prisão perpétua por morte de vizinha de 9 anos

Isso em um  País onde as Leis são verdadeiramente disciplinadoras da conduta social .


A adolescente norte-americana Alyssa Bustamante, de 18 anos, que confessou ter estrangulado, cortado a garganta e esfaqueado a vizinha de 9 anos porque “queria saber como se sentiria matando alguém”, foi condenada nesta quarta-feira (8) à prisão perpétua com possibilidade de liberdade condicional nos Estados Unidos. O crime aconteceu na cidade de Jefferson City, no estado do Missouri, em outubro de 2009.

À época do crime, Bustamante tinha 15 anos e descreveu a experiência de matar Elizabeth Olten como “muito agradável”. “Eu a estrangulei, cortei a gargante e a esfaqueei, então agora ela está morta”, escreveu Bustamante em seu diário. “Eu não sei como estou me sentindo. Foi incrível. Logo que passa a sensação de ‘oh, meu Deus, eu não posso fazer isso’, é realmente prazeroso. Agora estou tipo nervosa e tremendo. Tenho que ir para a igreja agora... (risos)”.

Os advogados de Bustamante alegaram que a adolescente sofria de depressão há anos e que o uso do antidepressivo Prozac a deixou mais propensa à violência. Eles ainda alegaram que ela teria tentado suicídio por overdose de analgésicos. No entanto, os promotores afirmaram que Bustamente teria premeditado o crime, já que ela cavou duas sepulturas com vários dias de antecedência. A jovem enterrou o corpo de Elizabeth em uma cova rasa,  sob um monte de folhas em uma floresta perto do seu bairro.

Momentos antes da sentença ser decretada, Bustamante levantou-se da cadeira e virou-se para a família de Elizabeth. “Eu sei que palavras nunca vão ser suficientes e nunca vão conseguir descrever exatamente quanto me sinto horrível por tudo isso”, disse a adolescente diante dos pais e irmãos de Elizabeth. “Se eu pudesse dar minha vida para ter ela de volta, eu daria. Desculpa”, completou.

A mãe da vítima, Patty Preiss, que no primeiro dia de julgamento classificou Bustamante de “monstro”, ouviu o pedido de desculpas em silêncio.



Vejam a diferença o que um "menor" fala e faz em nosso País, e existem aqueles "doutores" "especialistas'  que protegem e "passam a mão na cabeça " . Dizendo "há eles são mais VÍTIMAS  que autores etc, etc, tal " O OBJETIVO É FAZER PENSAR SOBRE A QUESTÃO"




Calma tem mais ....



Calma , gente tem muito mais muito mais no you tube...

...




terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

CONEXÃO REPÓRTER - O RACISMO NO BRASIL.



Nota: depois aparecem aqueles que afirmão que o não existe racismo no Brasil .. Existe uma grande diferença entre o falar e o fazer . Agradeço a oportunidade em lutar contra isso em falar em mostrar para o mundo qual a relaidade.. Estou aqui para desafiar aqueles que afirmam que não existe RACISMO OU PRECONCEITO ...


CLAUDIO VITORINO( PARA MEXER NA " FERIDA " MOSTRAR A REALIDADE  , SACUDIR A CAIXA DE MARIMBONDO .....

Atuação Polícia Americana ..



             Se isso e no nosso pais, onde as leis além de confusas não condizem com a realidade social do pais.. O que fazer??

TENTATIVA DE MOTIM NO PRESÍDIO DE LAVRAS


´

Nota Não quero nem comentar essa matéria pois ainda não é o momento certo e propício para tal. Contudo resta alguns questionamentos já que estou em um pais dito Democrático tenho como manifestar o que penso sobre o assunto . Em nenhum momento durante a entrevista foi mencionado a situação dos Agentes Penitenciários na cidade e até mesmo no Estado . Mais uma vez os direitos dos presos estão sendo altamente preservados e solicitatdos quanto aos profissionais que atuam no sistema prisional são constantemente esquecidos e pouco lembrados.  O pior de tudo e que em minha cidade existem alguns companheiros de atividades que fazem de tudo para prejudicar meu trabalho e falando coisas que não existem e lutando para desanimar aqueles muitos que estão comigo, mais sei que a cada dia mais e mais companheiros estão juntando ao meu propósito e o trabalho vem ganhando forças .. Agora uma pessoa falar que presídio " não é um barril de pólvora " está pessoa está pouco informada ou desconhece a realidade do sistema prisional de nosso estado . È muito fácil dar entrevistas dentro de uma sala com ar condicionado e com segurança , tudo etc. Agora vai entrar uma galeria com mais de 120 presos abrir uma cela   você e mais um colega  com 10 , 15 até mesmo 20 presos sozinhos a Deus dará .  A verdade do sistema penal tem que ser dito também . Ficam fazendo de tudo para tampar os problemas do sistema da real situação dos agentes nas unidades penais e de menores do nosso estado . A mais isso vai mudar , vai mesmo tudo isso toda a história virá a tona ..




Fonte : http://www.youtube.com/watch?v=5Ug41eBm6Y4

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Iguais na diferença ...






A história de uma adoção certamente é diferente de uma gravidez, mas a construção da relação entre pais e filhos adotivos carrega o mesmo amor, os mesmos orgulhos e as mesmas angústias de toda criança que foi muito desejada. É o que conta a jornalista Sônia Penteado, mãe de Gustavo e Eduardo
Muita gente me pergunta como é ser mãe de filhos adotivos. É uma resposta fácil e difícil ao mesmo tempo, uma vez que não vejo diferença entre nossa forma de viver e como imagino que seja em qualquer família em que os filhos foram muito desejados e são muito amados. Temos, meu marido, Antonio Gobe, e eu, o mesmo olhar orgulhoso e abobalhado quando ouvimos suas primeiras palavras, quando gritam ao telefone: “Eu te amo!”; ou quando fazem qualquer uma daquelas pequenas coisas que parecem únicas e especiais aos olhos de um pai. Também sofremos a mesma angústia com as noites de febre, com as manhas para não ir à escola e, principalmente, com os perigos que o futuro reserva.

O Gustavo entrou em nossas vidas no dia 18 de junho de 2007. Pouco mais de três anos depois, quem chegou também foi o Eduardo. O tema, porém, estava presente desde o início de 2004, quando descobrimos que não poderíamos gerar filhos biológicos. Recém-saídos da consulta médica, me lembro de concordarmos pela adoção numa conversa muito rápida, sem muitas dúvidas e quase livre de angústias. Mal sabíamos que isso definiria o que hoje acreditamos terem sido as escolhas mais felizes de nossas vidas.

Em setembro de 2006, entregamos os documentos para entrar na fila de adoção. Cerca de 30 dias depois fomos chamados para uma série de entrevistas com assistentes sociais e psicólogos. Na primeira delas, a profissional que nos atendeu já deu o tom do que deveríamos esperar: “Não estamos aqui para encontrar um filho para vocês. Nossa função é encontrar uma família para uma criança.” A diferença, dita rapidamente, parece sutil. Mas não é. E isso foi excelente para nos dar certo choque de realidade, nos ajudar a entender o porquê de todos os procedimentos.

Tempo necessário
Hoje enxergo a “demora” no processo de outra maneira, acredito que ele exige mesmo aprofundamento e, em geral, existem poucos profissionais nos fóruns, mas, na época, isso nos levou a buscar um caminho alternativo para adotar um bebê. Afinal, a legislação brasileira – que mudou no início de 2009 – ainda permitia com mais facilidade a adoção de crianças em que os pais biológicos definem para quem gostariam de dar seus filhos, no que era chamado de adoção intuitu personae. Hoje, todas as crianças devem passar pelo Cadastro Nacional de Adoção e só se permite adoção direta em casos excepcionais. A ideia não deu certo, mas serviu para que eu entendesse melhor a realidade de algumas mães que colocam seus filhos para adoção.

Enquanto vivíamos essa montanha-russa de sentimentos, o processo corria e no final da manhã do dia 18 de junho de 2007 – por ironia ou não, exatos nove meses depois de entrarmos com a documentação –, recebemos o tão esperado telefonema para conhecermos uma criança. Desse minuto em diante os corações ficam a mil. “Qual será a história dele?”; “E sua carinha?”; “Avisamos a família e os amigos agora ou quando der certo?” As dúvidas eram muitas e sem respostas rápidas. Primeiro fomos ao Fórum conhecer o processo da criança e dizer se estávamos dispostos a conhecê-la. No dia seguinte, marcamos o encontro no abrigo, onde fomos apresentados a ele com muito cuidado – sem a presença de outras crianças, para não gerar expectativas ou mal-estar em nenhuma das partes. E, apesar da assistente social ter nos informado de que era um bebê pouco expansivo (na época tinha 7 meses), ele logo abriu um sorriso e quis brincar com meu colar colorido.

A psicóloga do Fórum, que nos deu uma ajuda imensa, sempre alertou para um certo endeusamento nos processos de adoção, em que os pais contam que no momento do encontro houve uma interação especial, quase divina. “Ser mãe ou pai é algo construído com o tempo e na adoção não é diferente. Portanto, não se apressem e nem esperem sinais”, dizia ela. Isso nos ajudou a definir que queríamos um tempo de adaptação para que tanto ele quanto nós nos sentíssemos à vontade. Foram meros três dias, mas importantes para que nós nos organizássemos melhor emocionalmente e na prática – comprar mamadeira, fralda, roupas...

A segunda vez
Embora já nos sentíssemos experientes quando partimos para o processo que nos trouxe o Eduardo, foi tudo diferente. Foi mais demorado – quase um ano a mais – e, quando o recebemos, ele, que já tinha um ano e personalidade bem diferente do Guga, exigia outro tipo de aproximação. E, acima de tudo, tínhamos agora de apresentar os irmãos. O Guga torcia para ter um irmão logo e parece que Dudu preencheu seus sonhos – como é muito espoleta e não era tão bebê, já chegou brincando e interagindo, o que ajudou muito, apesar da ciumeira inicial. Hoje, com a rotina e a dinâmica da casa quase equalizadas, os dois se entendem como irmãos que são – brincando, brigando e com um orgulho mútuo invejável – e ocupam os mesmos espaços em nosso dia a dia e nossos corações.

Aos 5 anos, Gustavo já tem um bom grau de compreensão sobre como nossa família foi constituída. Gosta de ver as fotos do dia em que chegou e nunca quis prolongar o assunto sobre “sua mãe biológica, a moça que o carregou na barriga para que ele pudesse ser filho da mamãe e do papai”. Mencionar nossa diferença de cor é mais frequente. Com pouco mais de 2 anos, quis saber por que eu era branquinha e ele era pretinho. A resposta na época foi simples e pareceu atendê-lo: “Algumas pessoas são branquinhas, outras são pretinhas, outras são mais amareladas.” Respondemos às curiosidades deles à medida que surgem.

De qualquer maneira, temos guardadas, dos dois, todas as informações que recebemos de sua vida anterior a nós. Acreditamos que é um direito e uma decisão deles ter acesso à própria história. Não nos questionamos muito se o fato de serem adotados pode gerar qualquer dificuldade maior no futuro. Conhecemos tantas histórias semelhantes, bacanas. Também nos contam outras cheias de obstáculos. Assim como conhecemos filhos biológicos que dão dor de cabeça. Nossa preocupação sempre foi não fazer desse assunto um tema maior do que ele é em si. Como estamos todos convictos de que Guga e Dudu nasceram para ser nossos filhos, não me surpreendo mais quando digo: “O Guga ‘puxou’ isso de mim!” ou “Caramba, o Dudu faz aquilo igual ao pai!”. São certezas como essas que tornam a resposta sobre “como é ser mãe de filhos adotivos” tão igual à de qualquer outra mãe, apesar de uma história que às vezes parece tão diferente.

Fonte: http://anjoseguerreiros.blogspot.com/2012/02/iguais-na-diferenca.html

Mulher morre ao tentar em presí­dio com droga na vagina em MG - notí­cias em Minas Gerais

Mulher morre ao tentar em presí­dio com droga na vagina em MG - notí­cias em Minas Gerais

Um pacote com cocaína que estava escondido na vagina da mulher estourou e ela começou a passar mal. Ela foi encaminhada a um hospital de Pouso Alegre, mas não resisitu e morreu
A Polícia Civil de Pouso Alegre, na Região Sul de Minas Gerais, instaurou inquérito nesta segunda-feira para apurar a morte de uma mulher que tentou entrar no presídio da cidade com drogas dentro do corpo. Uma das embalagens com cocaína, que estava escondida na vagina, estourou e provocou complicações. Michele de Cássia Santos, de 32 anos, chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital. A droga seria levada para o namorado dela, que está preso.
O caso aconteceu no último sábado. Por volta das 12h, a mulher foi para a fila do presídio para visitar o namorado, identificado como Boy, que está preso por roubo a mão armada. Durante a espera, Michele começou a passar mal. Ela foi socorrida e encaminhada para o Hospital Samuel Libâneo, onde a droga foi encontrada em seu corpo. “Durante o atendimento os médicos constataram que a mulher tinha um invólucro plástico com cocaína na vagina, que acabou estourando, e outros dois no ânus”, disse o delegado Gilson Beraldo Baldassari.
Michele chegou a ser encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, mas acabou morrendo. “A droga foi absorvida pelo corpo da mulher, caiu na corrente sanguínea e fez ela ter uma overdose”, explica o delegado.
A polícia instaurou inquérito para descobrir para quem seria levada a droga. O principal suspeito é o namorado da mulher. Ele será ouvido pelo delegado da cidade. Outras pessoas também podem ser chamadas para prestar depoimento.
 
 

Claudio Vitorino em ação..

Postagens populares

Google+ Followers

Arquivo do blog

Claudio Vitorino em ação..

Aquele que acredita que o interesse coletivo está acima do interesse individual , que acredita que tudo e possível desde que tenha fé em Deus e coragem para superar os desafios...

Vida difícil? Ajude um estranho .

Pode parecer ilógico -no mínimo pouco prioritário- ajudar um estranho quando as coisas parecem confusas na nossa vida. Mas eu venho aprendendo que este é um poderoso antídoto para os dias em que tudo parece fora do lugar.

Como assim, pergunta o meu leitor mais cético? E eu explico:
Há duas situações clássicas onde podemos auxiliar uma pessoa que não conhecemos. A primeira é através de doações e gestos similares de caridade. Estes atos são maravilhosos e muito recomendáveis, mas não é deles que quero falar hoje.


Escolhi o segundo tipo: aquelas situações randômicas onde temos a oportunidade de fazer a diferença para uma pessoa desconhecida numa emergência qualquer. Na maioria das vezes, pessoas com quem esbarramos em locais públicos, envolvidas em situações que podem ir do estar atrapalhado até o precisar de mãos para apagar um incêndio.

E o que nós, imersos nas nossas próprias mazelas, distraídos por preocupações sem fim amontoadas no nosso tempo escasso, enfim, assoberbados como sempre... O que nós temos a ver com este ser humano que pode ser bom ou mau, pior, pode sequer apreciar ou reconhecer nosso esforço?


Eu vejo pelo menos seis motivos para ajudar um estranho:


1) Divergir o olhar de nossos próprios problemas
Por um momento, por menor que seja, teremos a chance de esquecer nossas preocupações.
Dedicados a resolver o problema do outro (SEMPRE mais fácil do que os nossos), descansamos nossa mente. Ganhamos energia para o próximo round de nossa própria luta.
Esta pausa pode nos dar novo fôlego ou simplesmente ser um descanso momentâneo.


2) Olhar por um outro ângulo
Vez ou outra, teremos a oportunidade de relativizar nossos próprios problemas á luz do que encontramos nestes momento. Afinal, alguns de nossos problemas não são tão grandes assim...
Uma vez ajudei Teresa, a senhora que vende balas na porta da escola de meu filho. A situação dela era impossível de ser resolvida sozinha, pois precisava “estacionar” o carrinho que havia quebrado no meio de uma rua deserta. Jamais esquecerei o olhar desesperado, a preocupação com o patrimônio em risco, com o dia de by Savings Sidekick">trabalho desperdiçado, com as providências inevitáveis e caras. E jamais me esquecerei do olhar úmido e agradecido, apesar de eu jamais ter comprado nada dela. Nem antes nem depois.
Olhei com distanciamento o problema de Teresa. E fiquei grata por não ter que trabalhar na rua, por ter tantos recursos e by Savings Sidekick">oportunidades. E agradeci por estar lá, naquela hora, na rua de pouco movimento, e poder oferecer meus braços para ela.


3) Não há antes, nem depois ...
Na intricada teia de nossos by Savings Sidekick">relacionamentos, dívidas e depósitos se amontoam. Ajudar um conhecido muitas vezes cria vínculos ou situações complexas. Ás vezes, ele espera retribuir. Outras vezes, esperamos retribuição. Se temos ressentimentos com a pessoa, ajudá-la nem sempre deixa um gosto bom na boca. Se ela tem ressentimentos conosco, fica tudo muito ruim também.
Já com estranhos são simples. É ali, naquela hora. Depois acabou. E não há antes. Que alívio!
(mas não vamos deixar de ajudar os conhecidos dentro de nossas possibilidades, hein?)


4) A gratidão pelo inesperado é deliciosa
Quem se lembra de uma vez em que recebeu uma gentileza inesperada? Não é especial? E nem sempre estamos merecendo, mal-humorados por conta do revés em questão.
Ou quando ajudamos alguém e recebemos aquele olhar espantado e feliz?
Ontem mesmo, eu estava numa fila comum de banco. Um senhor bem velhinho estava atrás de mim. Na hora em que fui chamada, pedi que ele fosse primeiro. “Mas por que, minha filha?”. “Pelos seus cabelos brancos”, respondi. Ele, agradecido, me deu uma balinha de hortelã. Tudo muito singelo, muito fácil de fazer, mas o sentimento foi boooom.


5) Quase sempre, é fácil de fazer.
Uma vez eu fiquei envolvida por uma semana com uma mãe e um bebê que vieram para São Paulo para uma cirurgia e não tinha ninguém para esperar no aeroporto. Levei para um hotel barato, acompanhei por uma semana e tive medo de estar sendo usada, reforçada pelo ceticismo de muitas pessoas ao meu redor. No final, deu tudo certo e a história era verdadeira.
Mas na maioria dos casos, não é preciso tanto risco ou tanto tempo. Uma informação; um abaixar para pegar algo que caiu; uma dica sobre um produto no supermercado. Dar o braço para um cego (nunca pegue a mão dele, deixe que ele pegue o seu braço, aprendi com meu experiente marido). Facílimo, diria o Léo. E vamos combinar, fácil é tudo que precisamos quando o dia está difícil, certo?

6) Amor, meu grande amor
Finalmente, ajudar estranhos evoca o nosso melhor eu. É comum termos sentimentos de inadequação, baixa auto-estima e insatisfação conosco quando estamos sob tempo nublado. E ajudar o outro nos lembra que somos bons e capazes. Ajudar um estranho demonstra desapego, generosidade, empatia pelo próximo. E saber que somos tudo isto quando o coração está cinza... É para olhar com orgulho no espelho, não?

Portanto, se hoje não é o seu dia... Faça o dia de alguém. E se é um dia glorioso... Vai ficar melhor!

Fonte:http://www.vivermaissimples.com/2011/03/vida-dificil-ajude-um-estranho.html

Karoline Toledo Pinto

Karoline Toledo Pinto
Karoline Agente Penitenciária a quase 10 anos , bacharelada no curso de Psicologia em uma das melhores Instituição de Ensino Superior do País , publica um importante ARTIGO SOBRE AS DOENÇAS QUE OS AGENTES PENITENCIÁRIOS DESENVOLVEM NO EXERCÍCIO DE SUAS FUNÇÕES . Aguardem em breve aqui será publicado .APESAR DAS PERSEGUIÇÕES INFUNDADAS DAS AMEAÇAS ELA VENCEU PARABÉNS KAROL SE LIBERTOU DO NOSSO MAIOR MEDO A IGNORÂNCIA CONTE COMIGO.. OBRIGADO CLAUDIO VITORINO

Filmes que mudarão sua vida..

  • A cor púrpora
  • A espera de um milagre
  • A procura da felicidade
  • A prova de fogo
  • Antes de partir
  • Desafiando gigantes
  • Ensina-me a viver
  • Paixão de Cristo

Postagens populares