Playlist

Playlist

Playlist

domingo, 29 de junho de 2014

O PM E O MILITANTE


O PM E O MILITANTE





Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/esporte/folhanacopa/2014/06/1477892-eliane-brum-o-pm-e-o-militante.shtml

sexta-feira, 20 de junho de 2014

ONU: nº de desabrigados no mundo é o maior desde 2ª Guerra




Número de desabrigados no mundo passou de 50 milhões, segundo agência para refugiados da ONU; tabela mostra dados de 1993 até 2013 Foto: UNHCR / Divulgação

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR, na sigla em inglês) afirmou nesta sexta-feira que o número de refugiados, desabrigados e pessoas em busca de asilo em todo mundo passou de 50 milhões, maior índice registrado desde o fim da 2ª Guerra Mundial.

O relatório da agência, baseado em dados compilados por governos e ONGs parceiras, e em números da própria UNHCR, mostra que 51,2 milhões de pessoas foram forçadamente desabrigadas ao final do ano de 2006, mais de 6 milhões do que o registrado ao fim do ano anterior, que foi de 45,2 milhões.

O grande aumento se deve principalmente ao conflito na Síria, que até o fim do ano passado transformou cerca de 2,5 milhões de pessoas em refugiados, e deixou 6,5 milhões desabrigados no país. Outra fonte de origem de desabrigados com relevância é a África, notavelmente na República Centro-Africana e o Sudão do Sul.

“Nós estamos vendo aqui os imensos custos de guerras sem fim, da falha de resolver ou prevenir conflitos”, disse o chefe da agência da ONU, António Guterres. “A paz hoje está perigosamente em déficit. Ações humanitárias podem ajudar, mas soluções políticas são necessárias. Sem isso, o alarmante nível de conflito e o sofrimento em massa que são refletidos nessas figuras irão continuar”, afirmou.



Fonte:http://noticias.terra.com.br/mundo/onu-n-de-desabrigados-no-mundo-e-o-maior-desde-2-guerra,cf0b0c5f0a7b6410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Racismo e agressao fisica a menores de idade no Center Shooping de Uberlandia Mg.

Center Shopping de Uberlândia





Center Shopping de Uberlândia

O episódio abaixo, registrado por celular por pessoas presentes, aconteceu no dia 31 de maio, num shopping de Uberlândia. Como pode ser visto (e é narrado, abaixo do vídeo, pelo Pai de um dos adolescentes), eles estavam simplesmente sentados, aguardando uma amiga que havia ido comprar seu lanche e que chega em seguida. A partir daí, o vídeo não necessita de comentários. E a indignação é de cada um/a de nós.

Espero que efetivamente Marcos Paulo leve a questão à Justiça e vá até o fim. Não só por seu filho e companheiros dele, mas para ajudar também a acordar esta sociedade doente!





Fonte:http://www.geledes.org.br/racismo-e-agressao-fisica-menores-center-shopping-de-uberlandia-minas-gerais/

Ex-integrante do ‘Esquenta’ está entre os suspeitos





Ex-integrante do ‘Esquenta’ está entre os suspeitos

Menos de dois meses depois da morte de Douglas Rafael da Silva, o DG, baleado durante operação policial na comunidade Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, outro ex-dançarino do programa Esquenta!, da TV Globo, está envolvido em um caso policial. Ontem, um adolescente de 16 anos que já integrou o elenco da atração foi apreendido por homens da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, sob acusação de envolvimento com o tráfico de drogas local.

Segundo policiais, esta é a terceira vez que o jovem é apreendido. O adolescente estava com outros dois menores e dois adultos, que fugiram pulando telhados de casas com a chegada da polícia. Após perseguição, os PMs conseguiram localizar o bando em uma casa da localidade conhecida como Rocinha 2. De acordo com os policiais, foram encontrados com o grupo 1.295 sacolés de cocaína, 359 trouxinhas de maconha e 176 pedras de crack, além de R$ 167 em espécie.

O próprio adolescente se identificou aos policiais como ex-integrante do elenco do programa. Em nota, a assessoria da TV Globo informou que o rapaz participou de episódios das duas primeiras temporadas do Esquenta!, mas que há dois anos não tem qualquer vínculo com o programa ou com a emissora.

Na 32ª DP (Taquara), os maiores de idade foram identificados como Anderson Moreno de Oliveira, 21 anos, e Leonardo Monteiro da Silva, 28. O primeiro possui 15 passagens pela polícia por tráfico de drogas, desde quando era menor. Além de anotações pelo mesmo crime, Leonardo tem também quatro passagens por roubo e um mandado de prisão em aberto.



Fonte: https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=2910681022005173817#editor/target=post;postID=8821817764186243465

terça-feira, 17 de junho de 2014

Barroso é o novo relator do processo do mensalão



A Ação Penal (AP) 470 e todas as execuções penais relacionadas a ela foram redistribuídas, por sorteio, ao ministro, nesta terça-feira Foto: Fellipe Sampaio / SCO / STF / Divulgação O
O ministro do Supremo Tribunal Federal Luis Roberto Barroso é o novo relator do processo do mensalão. A Ação Penal (AP) 470 e todas as execuções penais relacionadas a ela foram redistribuídas, por sorteio, ao ministro, nesta terça-feira.

A redistribuição decorre da decisão do ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF, de se afastar da relatoria de todas as execuções penais relacionadas ao processo. Barbosa afirmou que os advogados dos condenados passaram a atuar politicamente no processo, por meio de manifestos e insultos pessoais. O presidente citou o fato envolvendo Luiz Fernando Pacheco, advogado do ex-deputado José Genoino. Na semana passada, Barbosa determinou que seguranças do STF retirassem o profissional do plenário.

"Esse modo de agir culminou, na última sessão plenária do STF, em ameaças contra minha pessoa dirigidas pelo advogado do condenado José Genoino Neto que, para tanto, fez uso indevido da tribuna, conforme se verifica nos registros de áudio e vídeo da sessão do dia 11 de junho", disse Barbosa.

O mensalão do PT
Em 2007, o STF aceitou denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no suposto esquema denunciado em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e que ficou conhecido como mensalão. Segundo ele, parlamentares da base aliada recebiam pagamentos periódicos para votar de acordo com os interesses do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Após o escândalo, o deputado federal José Dirceu deixou o cargo de chefe da Casa Civil e retornou à Câmara. Acabou sendo cassado pelos colegas e perdeu o direito de concorrer a cargos públicos até 2015.
publicidade

No relatório da denúncia, a Procuradoria-Geral da República apontou como operadores do núcleo central do esquema José Dirceu, o ex-deputado e ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e o ex- secretário-geral Silvio Pereira. Todos foram denunciados por formação de quadrilha. Dirceu, Genoino e Delúbio responderam ainda por corrupção ativa.

Em 2008, Sílvio Pereira assinou acordo com a Procuradoria-Geral da República para não ser mais processado no inquérito sobre o caso. Com isso, ele teria que fazer 750 horas de serviço comunitário em até três anos e deixou de ser um dos 40 réus. José Janene, ex-deputado do PP, morreu em 2010 e também deixou de figurar na denúncia.

O relator apontou também que o núcleo publicitário-financeiro do suposto esquema era composto pelo empresário Marcos Valério e seus sócios (Ramon Cardoso, Cristiano Paz e Rogério Tolentino), além das funcionárias da agência SMP&B Simone Vasconcelos e Geiza Dias. Eles responderam por pelo menos três crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A então presidente do Banco Rural, Kátia Rabello, e os diretores José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório foram denunciados por formação de quadrilha, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. O publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, respondem a ações penais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O ex-ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) Luiz Gushiken é processado por peculato. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) respondeu processo por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia incluía ainda parlamentares do PP, PR (ex-PL), PTB e PMDB. Entre eles o próprio delator, Roberto Jefferson. Em julho de 2011, a Procuradoria-Geral da República, nas alegações finais do processo, pediu que o STF condenasse 36 dos 38 réus restantes. Ficaram de fora o ex-ministro da Comunicação Social Luiz Gushiken e o irmão do ex-tesoureiro do Partido Liberal (PL) Jacinto Lamas, Antônio Lamas, ambos por falta de provas.

A ação penal começou a ser julgada em 2 de agosto de 2012. A primeira decisão tomada pelos ministros foi anular o processo contra o ex-empresário argentino Carlos Alberto Quaglia, acusado de utilizar a corretora Natimar para lavar dinheiro do mensalão. Durante três anos, o Supremo notificou os advogados errados de Quaglia e, por isso, o defensor público que representou o réu pediu a nulidade por cerceamento de defesa. Agora, ele vai responder na Justiça Federal de Santa Catarina, Estado onde mora. Assim, restaram 37 réus no processo.

No dia 17 de dezembro de 2012, após mais de quatro meses de trabalho, os ministros do STF encerraram o julgamento do mensalão. Dos 37 réus, 25 foram condenados, entre eles Marcos Valério (40 anos e 2 meses), José Dirceu (10 anos e 10 meses), José Genoino (6 anos e 11 meses) e Delúbio Soares (8 anos e 11 meses).


Fonte:http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/julgamento-do-mensalao/barroso-e-o-novo-relator-do-processo-do-mensalao,ef11f82facaa6410VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html


Mais duas pessoas são detidas no Recife




Mais duas pessoas foram detidas nesta tarde, nas proximidades do Cais José Estelita, na capital pernambucana.

De acordo com a Polícia Militar (PM) de Pernambuco, uma delas foi presa por portar um coquetel-molotov e a outra, por desacato. Com isso, chega a seis o número de detidos. Os conflitos entre os policiais e os ocupantes do cais ocorrem desde a manhã. Já houve quatro confrontos. De acordo com os ativistas, há o uso desproporcional da força e os feridos somam dezenas.

Os ocupantes da área foram supreendidos por volta das 5h pela PM. Desde então, eles deixaram o cais, mas permaneceram nas proximidades. "Já foram quatro ações do Choque. A terceira foi a pior, o coletivo estava em assembleia, em uma praça em frente à ocupação. Fomos atingidos sentados no chão", diz a advogada do Centro Popular de Direitos Humanos Carla Guareschi.

Para fugir dos policiais, os ativistas foram para a avenida e fecharam o trânsito, durante cerca de 40 minutos, na intersecção entre a área central e a zona sul do Recife. "Quando estávamos deixando a via, o Choque agiu novamente de surpresa", disse Carla. Agora os ocupantes do cais reúnem-se em assembleia em um viaduto próximo. Segundo a advogada, das 400 pessoas que estavam no local, permanecem 200. A PM estima o número em 100.

A polícia usou gás lacrimogêneo, bombas de efeito moral, spray de pimenta e balas de borracha para dispensar os ativistas. "Foi uma covardia e truculência que nunca vi na minha vida", diz a médica Rafaela Pacheco, que estava no local de manhã. "As pessoas foram encurraladas pela tropa de choque e pela cavalaria. Fecharam o cerco e começaram a atirar balas de borracha à queima-roupa".

Ela conta que tentou entrar no local como médica, mas foi impedida de se aproximar. "Havia mulheres grávidas e crianças no local. Fiz dezenas de atendimentos, limpeza de feridas de estilhaços de bomba e chicotadas. A cavalaria estava usando os chicotes para bater nas pessoas". Carla disse que os ocupantes do cais buscarão reparos para as violações de direitos humanos sofridas.

Para o porta-voz da PM, capitão Júlio Aragão, a ação foi legítima e a polícia cumpria ordem judicial de reintegração de posse. "Aqueles que julgarem que os policias se excederam [no uso da força] devem procurar a Corregedoria e relatar queixa", disse Aragão.

A Anistia Internacional divulgou nota pública condenando o uso excessivo de força pela PM. "Os manifestantes estavam em negociação com autoridades locais, com acompanhamento do Ministério Público, e havia o compromisso de que qualquer reintegração de posse teria um aviso prévio de 48 horas", diz a nota. A Anistia Internacional pede a investigação "imediata dos abusos cometidos pela Polícia Militar e que seja retomada a negociação com os participantes da ocupação".

Mais cedo, o Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco também repudiou a ação policial, alegando ter sido surpreendido pelo cumprimento da ordem de reintegração de posse.

Os manifestantes estavam acampados no local desde o último dia 21, para impedir que o local fosse demolido para construção de edifícios, como parte do projeto Novo Recife. Em nota de esclarecimento divulgada nesta tarde, a prefeitura informou que a licença de demolição já concedida ao consórcio continua suspensa. O Consórcio Novo Recife não poderá reiniciar a demolição das construções existentes no local até que a Justiça se pronuncie sobre o assunto.

Em nota, o consórcio diz que a "ilegalidade da ocupação ocorrida no dia 21 de maio foi reconhecida pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, ao determinar a desocupação do referido imóvel." No texto, o consórcio informa que aderiu à "proposta de procedimentos" da prefeitura do Recife, voltada para a discussão do projeto.





Fonte:http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/06/17/mais-duas-pessoas-sao-detidas-no-recife/

Defesa de Dirceu pede direito a trabalho externo com "urgência"




O advogado José Luís de Oliveira Lima, defensor do ex-ministro José Dirceu, tomou nova iniciativa para tentar que o seu cliente - condenado na ação penal do mensalão a 7 anos e 11 meses no regime semiaberto - tenha direito a imediato trabalho externo, benefício que vem sendo negado pelo ministro Joaquim Barbosa, relator da AP 470. O advogado pediu à ministra Cármen Lúcia que, na condição de relatora, analise com "urgência" o habeas corpus (HC 122742) que ele protocolou em 27 de maio último.

Na petição, o advogado de Dirceu ressalta que "haverá apenas mais duas sessões plenárias deste Egrégio Supremo Tribunal Federal antes do início do recesso judiciário, o que torna imperioso o julgamento da liminar, a fim de evitar o prolongamento do constrangimento ilegal já suportado pelo paciente." E acrescenta: "Ademais, o paciente encontra-se preso e é idoso (67 anos), merecendo a prioridade prevista no artigo 71 da Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso), tudo recomendando urgência na análise do habeas corpus".

Barbosa entendeu que, antes de ter direito à saída para trabalho externo, era necessário cumprir um sexto da pena. Com o mesmo argumento, o presidente do Supremo revogou o benefício que já tinha sido concedido a outros sete condenados, entre eles o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.

Depois da decisão de Barbosa, Oliveira Lima entrou com recurso para que o plenário analisasse o caso. Como o presidente do STF não levou o agravo para discussão dos demais ministros, a defesa ajuizou um habeas corpus para que Dirceu obtenha o direito de deixar o presídio para trabalhar. A ministra Cármen Lúcia foi sorteada relatora do HC.



Fonte:http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/06/16/defesa-de-dirceu-pede-direito-a-trabalho-externo-com-urgencia/

Barbosa representa no MPF contra advogado de Genoino



O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal e relator da ação penal do mensalão, entrou com representação, na Procuradoria da República no Distrito Federal, contra o advogado Luiz Fernando Pacheco, um dos patronos do ex-deputado federal José Genoino, por desacato, injúria e difamação. Pacheco foi retirado à força da tribuna do plenário do tribunal, aos gritos, por seguranças, na sessão da última quarta-feira, depois de um bate-boca sem precedente com Barbosa, ao insistir que fosse apregoado naquela sessão o julgamento mais um recurso do ex-deputado, condenado a 4 anos e 8 meses de prisão (regime semiaberto), que não conseguiu ainda voltar a cumprir a pena em casa, tendo em vista o seu estado de saúde.

Ao fim da última sessão do Conselho Nacional de Justiça por ele presidida, nesta segunda-feira, por volta das 19 horas, cercado por repórteres, ele assim respondeu à pergunta sobre os assuntos mais importantes que nela tinham sido tratados: "Balanço da última sessão? Houve um monte de coisas, só que vocês não noticiam; só noticiam coisa ruim".

Indagado sobre o censo do Judiciário, divulgado pelo CNJ pela manhã, e se o baixíssimo percentual de magistrados negros poderia levar a uma discussão sobre cotas, limitou-se a dizer: "Não sei. Estou de saída. Es ist mir ganz egal (mais ou menos "não estou nem aí", em alemão).

Quanto às acusações de que sua gestão teria sido "ditatorial", também foi lacônico: "É? Cada um diz o que bem entende. Eu fico com os fatos, as imagens, e a minha resposta virá em breve".

E a resposta veio no início da noite, quando se soube que o ministro que se aposenta até o fim do mês entrou com uma representação no MPF-DF contra o advogado Luiz Fernando Pacheco.



Fonte:http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/06/16/barbosa-representa-no-mpf-contra-advogado-de-genoino/

Joaquim Barbosa renuncia à relatoria dos processos do mensalão





O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, não é mais o relator da ação penal do mensalão e dos processos de execução das penas dos 24 sentenciados. Ele anunciou, nesta terça-feira (17/6), que renunciou aos encargos, às vésperas de formalizar a sua aposentadoria, acusando "vários advogados" dos processos de atuarem "politicamente". A manifestação de Barbosa - que deve formalizar a sua aposentadoria na próxima semana - foi feita no processo de execução penal do ex-presidente do PT e ex-deputado federal José Genoino. Por sorteio, o novo relator é o ministro Roberto Barroso.

Na noite desta segunda-feira (16/6), o ministro entrou com representação, na Procuradoria da República no Distrito Federal, contra o advogado Luiz Fernando Pacheco, um dos patronos de José Genoino, por desacato, injúria e difamação. Pacheco foi retirado à força da tribuna do plenário do tribunal, aos gritos, por seguranças, na sessão da última quarta-feira, depois de um bate-boca sem precedente com Barbosa, ao insistir que fosse apregoado naquela sessão o julgamento mais um recurso do ex-deputado, condenado a 4 anos e 8 meses de prisão (regime semiaberto), que não conseguiu ainda voltar a cumprir a pena em casa, tendo em vista o seu estado de saúde.


Fonte:http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/06/17/joaquim-barbosa-renuncia-a-relatoria-dos-processos-do-mensalao/

Joaquim Barbosa pede ação penal contra advogado de José Genoino



O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, pediu à Procuradoria da República no Distrito Federal a abertura de ação penal contra o advogado Luiz Fernando Pacheco. O profissional foi retirado à força do STF na última quarta-feira (11/6), após discutir com Barbosa sobre a demora na análise do pedido para que José Genoino, ex-presidente do PT e seu cliente, volte à prisão domiciliar.

No documento enviado à Procuradoria nesta segunda-feira (16), o ministro pede que o advogado seja investigado pelos crimes de desacato, calúnia, difamação e injúria. Pacheco afirmou que, por ora, não irá se pronunciar. “Falo somente após conhecer formalmente a acusação. Por enquanto, fico apenas com a tranquilidade dos profissionais que cumprem com seu dever.”

Em maio, Genoino voltou a cumprir pena no Complexo da Papuda. Antes, chegou a ficar detido em sua casa após reclamar de problemas de saúde. Na última quarta-feira (4/6), a Procuradoria-Geral da República emitiu parecer favorável à sua prisão domiciliar. Desde então, o pedido aguarda ser pautado.

Quando o Supremo condenou os réus do mensalão, no entanto, Joaquim Barbosa foi rápido. Ele ordenou as prisões no feriado de proclamação da República, no dia 15 de novembro, mas só expediu as cartas de sentença 48 horas após a prisão de todos os réus. Segundo especialistas, a pressa afrontou a Lei de Execuções Penais.

Na última quarta-feira, Pacheco (foto) foi incisivo ao falar com o presidente da corte. Disse que o novo pedido de prisão domiciliar já tem a concordância da Procuradoria-Geral da República e que depende apenas de Barbosa pautá-lo. O ministro ameaçou rebatê-lo. “Vossa Excelência vai pautar?”, questionou. Mas o advogado não parou de falar. “Vossa Excelência deveria honrar essa Casa e trazer a seus pares o exame da matéria”, retrucou.

O presidente do STF mandou cortar o som do microfone da tribuna, mas Pacheco disse que não deixaria de insistir. Até que Barbosa chamou os seguranças. Dois funcionários seguraram os braços do advogado e o afastaram da tribuna, enquanto ele gritava que o ministro cometia abuso de autoridade. “Quem está abusando de autoridade é Vossa Excelência”, rebateu Barbosa, sem lembrar que o advogado não é servidor público. “A República não pertence a Vossa Excelência, nem aos de sua grei”, completou Barbosa, enquanto Pacheco era levado para fora do tribunal.

Após a discussão, o presidente do STF deixou o Plenário e a sessão passou a ser presidida pelo vice-presidente, ministro Ricardo Lewandowski. Barbosa divulgou nota lamentando o episódio e declarando que Pacheco agiu "de modo violento".

Logo após ser retirado da corte, o advogado Luiz Fernando Pacheco disse à revista Consultor Jurídico que não se sentiu agredido pelo seguranças, mas que sua expulsão foi “mais um ato que consagra o autoritarismo da magistratura do ministro”. Com informações da Agência Brasil.


Fonte:http://www.conjur.com.br/2014-jun-16/joaquim-barbosa-acao-penal-advogado-genoino

domingo, 15 de junho de 2014

'Sofri violência física e psicológica', relata estudante torturado após manifestação


'Sofri violência física e psicológica', relata estudante torturado

Estudante de direito da PUC é torturado na sede da Secretaria de Segurança após ato de apoio a greve dos metroviários. A repórter Claudia Rocha conversou com ele; Ouça!

redebrasilatual
'Sofri violência física e psicológica', relata estudante torturado após manifestação


Vejam a entrevista no link isso é muito grave


http://www.redebrasilatual.com.br/radio/programas/jornal-brasil-atual/2014/06/sofri-violencia-fisica-e-psicologica-relata-estudante-torturado-apos-manifestacao-1

Ibope comprova: o Brasileiro não confia no Brasileiro. Como construir um país nesta situação?


Entrei ontem à noite na página do Ibope para verificar os dados da pesquisa que confirmou Dilma Roussef com 43% das intenções de voto para a eleição presidencial. Pois é, mas uma noticia no portal da empresa chamou minha atenção, pois traduz de modo cabal como os conceitos morais do país estão distorcidos e sem rumo.

Um levantamento divulgado na última segunda-feira atesta que 73% dos brasileiros têm muita confiança na família. Mas em relação a amigos, vizinhos e colegas de trabalho, boa parte das pessoas entrevistadas (62%) cravam que dizem ter pouca ou nenhuma confiança nas pessoas destes grupos sociais. O motivo? Para 82% dos entrevistados, as pessoas só querem tirar vantagem umas das outras. A íntegra da pesquisa está aqui.

Após ler a pesquisa, penso de imediato: que tipo de país estamos construindo? Que tipo de solidariedade humana queremos exercer no dia a dia? Será que consideramos o “Salve-se quem Puder” a única estratégia válida para triunfar?

Vou mais longe: os encontros, conversas e relacionamentos em bares, festas sociais, igrejas, comunidades de bairro é tudo uma grande falsidade? Como podemos bater no peito e dizer que somos um povo hospitaleiro se não queremos estender a mão para quem convive diariamente conosco? A pesquisa é, antes de tudo, uma confissão de hipocrisia.

Tal pesquisa explica em parte porque uma parte das pessoas defende que se deve votar em pessoas e nunca em ideias ou partidos. É o triunfo da individualidade, da falta de sensibilidade em relação ao sofrimento humano. Deve-se votar no político que apenas e tão somente trará vantagens para si, nunca para uma comunidade.

Por outro lado, uma parte dos Evangélicos Cristãos cresceram no Brasil com base na filosofia da prosperidade individual, da busca da satisfação e do prazer a qualquer preço. E o semelhante? Esse tem que se virar. Se quebrar a cara, é bem feito porque não dá para confiar.

Mais do que dinheiro, crescimento econômico ou lutar por menor desigualdade social, qualquer brasileiro precisa engajar-se para exterminar esse vírus da desconfiança e construir um sentimento de nação, independente de classe, raça e religião. Por enquanto, poucos desejam viabilizar tal processo. Uma pena.



Fonte:http://bolacomgravata.com.br/ibope-comprova-o-brasileiro-nao-confia-no-brasileiro-como-construir-um-pais-nesta-situacao/

Confia na Rede Globo ? Odiou a Ditadura Militar no Brasil ? Acha mesmo que a Globo não apoiou a Ditadura ? Pense de novo…


'Fantástico' alimenta descrédito na política, mas não toca em reforma






Com uma imagem negativa do Congresso Nacional, reportagem cria ideia de que todos são 'farinha do mesmo saco'


O programa "Fantástico", da TV Globo, no último domindo (8) fez uma reportagem que, na superfície, parece ser contra a corrupção na política, mas, no conteúdo, presta um desserviço à cidadania ao fugir da raiz do problema: a reforma política.

A reportagem, em tom sensacionalista, entrevista dois supostos assessores parlamentares, mas que ficam anônimos, na penumbra. Um até usa chapéu, sem mostrar o rosto e com voz sintetizada para não ser reconhecida. É legítimo no jornalismo fontes não se identificarem por receio de retaliação, mas para que se justifique o método é necessário que tragam fatos que possam ser apurados. Pelo menos alguma pista que ajude ou até obrigue órgãos de controle, como o Ministério Público, a agirem. E isso não ocorreu na matéria.

Os assessores misteriosos apontaram um monte de mazelas políticas mais do que conhecidas, lugares comuns em milhares de casos de polícia e processos, como “a compra do voto no dia da eleição sai a R$50”, “existem várias formas de desviar dinheiro público”, mas sem especificar nada concreto, sem dar nenhuma pista que possa ser investigada.

A reportagem ainda coloca um personagem fictício, na forma de deputado, para representar "todos os corruptos", extraído de um livro do juiz Marlon Reis, e inclui frases repugnantes como “político não tem remorso, político tem conta bancária.” Isso com a imagem do Congresso Nacional ilustrando a matéria, criando na mente do telespectador a ideia de que todos seriam "farinha do mesmo saco.” Não separa o joio do trigo. Este tipo de mensagem desestimula o voto de opinião, pela desesperança, prejudicando a eleição dos honestos e favorecendo quem conquista mandatos pelo poder econômico, inclusive pela compra de votos, explícita ou dissimulada.

O programa cita dois casos de desvio de verbas conhecidos. Um na cidade de São Pedro da Água Branca, no Maranhão, que levou à condenação de um ex-prefeito do PTB (o Fantástico omitiu a informação sobre o partido). Outro caso sobre asfalto na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, onde a revista televisiva omitiu, além do partido, até o nome do prefeito.

Pois trata-se do ex-prefeito João Paulo Kleinübing, cujo governo foi do DEM, e hoje está filiado ao PSD. Denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina, a gestão de Kleinübing foi alvo da Operação Tapete Negro que, segundo os promotores, revelou um esquema de superfaturamento em obras, principalmente de asfalto, que teria gerado um prejuízo de R$ 100 milhões aos cofres da cidade. O Fantástico também omitiu que Kleinübing, mesmo depois de deixar a prefeitura com estes fatos sob investigação, foi nomeado presidente do Badesc (Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A.), de onde só saiu para se candidatar a deputado federal.

A matéria falou do elevado custo das campanhas eleitorais e citou doações de empreiteiras, mas omitiu completamente o debate sobre proibir tais doações. Nem tocou no assunto de que há projetos neste sentido da bancada que deseja moralizar as eleições em tramitação no próprio Congresso Nacional, demonizado genericamente na reportagem.

Também não citou que o Supremo Tribunal Federal deu a maioria de votos pela inconstitucionalidade das doações de empresas, em ação movida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e o julgamento foi interrompido pelo pedido de vista do ministro Gilmar Mendes. A sociedade civil organizada que luta por essa causa, cobra que o ministro devolva o processo para destravar o julgamento. Já houve até um tuitaço com a expressão #DevolveGilmar.

O Fantástico conseguiu a façanha de entrevistar o juiz eleitoral Marlon Reis e omitir que ele trabalha para reunir 1,6 milhão de assinaturas (1% do eleitorado) para apresentar projeto de iniciativa popular de reforma política, com propostas como a proibição do financiamento empresarial de campanha e eleições legislativas em dois turnos.

A reportagem contribuiu em nada para o principal debate sobre o tema da corrupção. Sem mudar o sistema eleitoral, por meio de uma reforma política que favoreça a eleição de pessoas com espírito público e não com rabo preso à empresas que financiam campanhas, reportagens como a mostrada serão repetidas eternamente.



Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2014/06/fantastico-alimenta-descredito-na-politica-mas-nao-toca-em-reforma-4894.html

Sem 'fetiche pela rua', Comitê Popular tenta alertar população sobre a Copa que já foi


Articulados com movimentos sociais 'abaixo e à esquerda', Comitê vê evento como indicativo do modelo de desenvolvimento adotado pelo país e aponta contradições



Comitês estão articulados em todas as cidades-sede do evento. Em São Paulo, reuniões ocorrem dentro de ocupações

São Paulo – O grupo que há mais tempo se mobiliza politicamente em torno da realização da Copa do Mundo de futebol, que será realizada em 12 cidades brasileiras a partir de amanhã, não tem dúvida: o torneio, na verdade, já ocorreu. Pelo menos para as famílias dos trabalhadores mortos nas obras dos estádios, para as famílias removidas em função das obras de mobilidade urbana e para pessoas em situação de rua expulsas dos trajetos que, pelo próximo mês, pertencerão a turistas estrangeiros e delegações de atletas. Os Comitês Populares da Copa estão presentes em todas as cidades-sede da Copa e atuam desde 2011 com o nome, que faz referência aos Comitês Locais de Organização, órgãos oficiais de realização do evento esportivo. Seu objetivo, explicam, é problematizar o que significa para um país ou uma cidade sediar a Copa do Mundo.

A RBA oferece ao leitor uma perspectiva diferente sobre o Mundial de futebol: a série "A Copa na Rua" traçará diariamente o perfil dos movimentos sociais mais atuantes neste período, de forma a expor suas origens, objetivos estratégicos e ideologia, com ou sem Copa do Mundo.

"A partir do momento que o nome do Brasil foi escolhido pela corporação Fifa, que está sob várias denúncias, que é uma máfia, já estava tendo Copa. É isso que a gente entende. Nossa linha não é de 'não vai ter Copa' porque a gente não é ingênuo. Os jogos começam dia 12, mas a Copa já está existindo há muito tempo. A gente entende que quando sai o nome de um país para sediar um megaevento como esse, isso já indica o tipo de desenvolvimento que esse país está seguindo: na nossa avaliação, o caminho da exclusão, que beneficia a poucos e exclui sua maioria", afirma Vanessa dos Santos, que participa do Comitê de São Paulo há três anos. Ela e Matheus Marestoni fazem parte do grupo de trabalho responsável por conversar com jornalistas.



O Comitê Popular é formado por integrantes de origens e formatos bastante heterogêneo: organizações não governamentais (ONGs), sindicatos, movimentos sociais e coletivos de militantes, cooperativas, associações de amigos de bairro, diretórios estudantis e pastorais da Igreja Católica, entre outros, em um total de 50 entidades apenas em São Paulo. A palavra de ordem que unifica as vozes diversas dos comitês populares nas cidades-sede da Copa reafirma o foco do grupo na defesa dos direitos dos excluídos prejudicados pela realização do evento. "Copa para quem?", perguntam em hashtags pelas redes sociais e nos cartazes que levam aos atos públicos. O Comitê Popular é também um dos organizadores da "série" de protestos "Copa sem povo, tô na rua de novo", que soma ao coletivo o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e o Movimento Passe Livre (MPL), entre outros.

Atos dessa natureza, no entanto, são exceção. Apesar da reconhecida importância do trabalho dos Comitês Populares, é comum que movimentos com uma linha de ação mais radicalizada os chamem de "pelegos" por conta da opção do Comitê Popular de não recorrer continuamente às manifestações públicas como principal forma de militância. Segundo seus porta-vozes, trata-se de uma decisão política que reflete a não "fetichização" dos atos. "A gente não tem esse fetiche. De uma rua para outra a gente tem uma série de atividades para poder construir, fortalecer os movimentos. Nós não somos um grupo que está dentro de uma universidade, no qual cinco pessoas dentro de uma sala de aula decidem o que vai ser a pauta. Nossas pautas foram construídas há um bom tempo", afirma Vanessa. "Estar na rua é saber o que está acontecendo com as mulheres em situação de prostituição na Luz, no centro de São Paulo; é saber o que está acontecendo com as pessoas em situação de rua; saber como anda a questão da moradia."


Essa forma de construir os atos marca a principal diferença do Comitê Popular em relação ao Território Livre, grupo que defende a palavra de ordem "Não Vai ter Copa". Para o Comitê, a construção do "poder popular", objetivo declarado pelo TL, tem outras etapas além da "rua". "O discurso do Território é que cancelar a Copa demonstraria uma vitória do poder popular. Significa que, se o jogo acontecer, dane-se o poder popular, dane-se as violações? É tudo ou nada? Para nós, não é tudo ou nada. São vidas de pessoas que estão sofrendo diretamente com isso", explica Matheus. "No nosso entendimento, o poder popular não se constrói somente em atos de rua. Se constrói com articulações e o fortalecimento dos movimentos que já existem. Não se pode falar de poder popular sem autonomia, autogestão. Isso está intrínseco: autonomia, autogestão e ação direta. Ação direta significa que as pessoas que estão tangenciadas têm de construir seu movimento e dizer o que precisam."

Exemplo das ações "além-rua" dos comitês populares foram os dossiês publicados pela Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa (Ancop), que reúne as lideranças locais para alinhar o discurso e programar as atividades nacionais do coletivo. Os materiais reúnem as violações a direitos básicos de cidadãos, especialmente os mais pobres, nas cidades que receberão jogos, e podem ser acessados na página da Ancop. O tom da crítica não se restringe à Copa, mas inclui dados sobre a exclusão social antes e depois da realização do evento. Os documentos, formulados a partir de dados fornecidos pelos próprios atingidos, embasou a luta de diversos grupos que se puseram na rua mais tarde, especialmente depois de junho do ano passado.

"A gente entende que a Copa não criou esses processos de gentrificação, de violação. Mas os acelerou. Então ter ou não ter o Mundial não é a grande questão. A grande questão começa a partir do momento que as cidades estão sendo tomadas por grandes corporações. A gente pergunta 'Copa para quem' porque estamos em cima do evento, mas, se a gente radicalizar o significado, o que a gente está perguntando é: 'a cidade é para quem?'. Enquanto segue ocorrendo higienização social, o jogo é o de menos", afirma Matheus.

O foco na ocupação da cidade é reflexo da gênese dos comitês populares, pautados principalmente pela questão da moradia antes da formação do "mosaico" de movimentos que deram corpo ao coletivo. "A moradia é a coisa concreta para quem perdeu a casa, vai para a ocupação e o movimento de moradia tem histórico de ocupar a rua. Mas temos coletivos feministas, a questão do trabalho ambulante, que é muito forte. A população em situação de rua, a elitização do futebol, a militarização do Estado", explica Vanessa. "Para nós, é muito importante essa construção junto aos movimentos sociais, porque muitos grupos e coletivos da esquerda falam sem conhecer a realidade das pessoas. Nossa ideia é potencializar as lutas que já existem", afirma Matheus. "A gente não é porta-voz de ninguém", completa Vanessa.

As reuniões organizativas são organizadas sempre em ocupações de sem-teto, uma forma de evitar "aparelhamentos políticos" e manter o caráter de "articulação e união". Atualmente, participam dessas reuniões um núcleo duro, formado por cerca de 30 representantes dos diversos movimentos. A decisão de restringir os encontros, antes abertos a mais pessoas, é apontada como uma questão de segurança. O temor é que policiais, por exemplo, se infiltrem e que a promessa do secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella, de prender preventivamente ativistas organizando-se para o período da Copa do Mundo se concretize. Eles acreditam já ter seus celulares grampeados e suas conversas pela internet vigiadas. Por isso, até a troca de e-mails entre eles foi repensada. "Cinquenta anos depois da ditadura, somos premiados com essa situação", lamenta Vanessa.

O grupo se sente perseguido e criminalizado, mesmo sem adotar táticas violentas, como os black blocs. Para eles, o crescimento do uso da tática anarquista é demonstração legítima de revolta, mas não pode ser atribuído a isso o endurecimento do Estado em relação às manifestações. "A militarização já estava prevista como legado da Copa. São R$ 2 bilhões destinados para isso, sendo R$ 54 milhões só para artefatos, essas 'bombinhas' que custam quase mil reais cada uma e que são jogadas aos montes. Independente do que aconteceu em junho do ano passado, do que vem acontecendo agora. Essas armaduras para a Polícia Militar, agentes brasileiros sendo treinados por Israel, já estava tudo previsto. Foi uma decisão política", pondera Matheus.

"A gente não usa essa tática porque quando vamos para rua, para um ato, a gente tem um roteiro que tem começo, meio, e que deseja ter um fim. Temos coisas a fazer. E essas coisas não são quebrar banco, apesar do banco quebrar pessoas todos os dias; não é quebrar a Zara, a Marisa, que usam de trabalho escravo. A gente quer questionar e comunicar a população de outra maneira", avalia Vanessa.



Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2014/06/comite-popular-da-quer-mostrar-copa-que-ja-aconteceu-7013.html

Violência da PM censura manifestações contra a Copa em São Paulo



Polícia ataca 'preventivamente' protestos na zona leste da capital, que foram dissolvidos antes de começar. Corporação soma novos casos a seu histórico de violações de direitos



Policiais contra manifestante próximo à estação Carrão do metrô. Força desmedida contra direito de protestar

São Paulo – Convocadas para a manhã de hoje (12) na zona leste de São Paulo, as duas manifestações de rua que pretendiam criticar a realização da Copa do Mundo horas antes da abertura do torneio foram dura e inexplicavelmente reprimidas pela Polícia Militar. Com um efetivo multitudinário, a corporação sitiou toda a região no entorno das estações Tatuapé e Carrão do Metrô, onde os manifestantes haviam combinado de se encontrar para saírem em passeata. Dezenas de caminhões do choque, viaturas e motocicletas estavam apoiadas por helicópteros e cavalaria. A violência das forças de segurança foi tão grande que as marchas sequer chegaram a ocorrer.

Eram 9h15 da manhã quando a reportagem da RBA chegou às redondezas. Um grande número de soldados, com escudos e capacetes, já estava instalado dentro da estação Carrão do Metrô, revistando pessoas que “aparentavam” ser manifestantes: jovens trajados com roupas pretas, com cortes de cabelo incomuns, negros e com barba. Mochilas foram abertas e supervisionadas sem qualquer justificativa. De lá partiria uma das passeatas marcada para hoje, cuja intenção era caminhar até o cordão de isolamento em torno da Arena Cortinthians, em Itaquera, estádio que sediaria o jogo de abertura da Copa. Antes da chegada dos manifestantes, três linhas de soldados do batalhão de choque já estavam em formação de ataque do lado de fora da estação, com escudos, armas e bombas de gás lacrimogêneo.


Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2014/06/manifestacao-contra-a-copa-e-dissolvida-pela-pm-antes-de-comecar-9047.html

Hostilizada na Copa, Dilma diz: 'O futebol está acima da política'

Hostilizada na Copa, Dilma diz: 'O futebol está acima da política'
A presidente Dilma Rousseff afirmou, em artigo divulgado neste domingo, que o futebol está acima da política, de governos ou de grupos políticos, dias após receber xingamentos na abertura...



 
Hostilizada na Copa, Dilma diz: 'O futebol está acima da política'
A presidente Dilma Rousseff afirmou, em artigo divulgado neste domingo, que o futebol está acima da política, de governos ou de grupos políticos, dias após receber xingamentos na abertura...




A presidente Dilma Rousseff afirmou, em artigo divulgado neste domingo, que o futebol está acima da política, de governos ou de grupos políticos, dias após receber xingamentos na abertura da Copa do Mundo e estreia da seleção brasileira na última quinta-feira, em São Paulo.

"A seleção brasileira representa a nossa nacionalidade. Está acima de governos, de partidos e de interesses de qualquer grupo", afirmou Dilma neste domingo. A presidente mencionou a experiência pessoal e lembrou que, quando esteve presa por envolvimento na resistência à ditadura, na década de 1970, teve contato com correntes que criticavam o apoio ao Mundial ou à seleção brasileira.

"Naquela época, havia segmentos que diziam: 'Se você torcer pelo Brasil, você estará fortalecendo a ditadura.' Isso era uma sandice. Para mim, esse dilema nunca existiu", afirmou. "Eu e as minhas companheiras de cela nunca tivemos dúvidas e todas torcemos pelo Brasil, porque o futebol está acima da política."

Na abertura da Copa e estreia da seleção brasileira, a presidente evitou vaias ao não discursar, mas ouviu xingamentos de torcedores presentes na Arena Corinthians para o jogo Brasil X Croácia.



Fonte:http://esportes.br.msn.com/futebol/hostilizada-na-copa-dilma-diz-o-futebol-est%C3%A1-acima-da-pol%C3%ADtica-2

Lula critica vaias a Dilma na abertura da Copa: 'Dinheiro não dá educação'


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva repudiou nesta sexta-feira as vaias e xingamentos entoados nas arquibancadas da Arena Corinthians ontem contra a presidente Dilma Rousseff no jogo de abertura da Copa do Mundo entre Brasil e Croácia.

"Não é nem dinheiro nem escola nem títulos de doutor que dão educação para as pessoas. Educação se recebe dentro de casa. Eu nunca tive coragem de faltar com respeito a um presidente da República", disse Lula, durante um comício em Teresina.

Lula lembrou ainda que, durante sua carreira política, fez greves, enfrentou presidentes, mas nunca desrespeitou ninguém, "principalmente uma mulher".

"Foi uma grande falta de respeito, pensei que o preconceito contra as classes pobres diminuiria depois da minha chegada à presidência", comentou.

"Eu pensava que as pessoas iam ficar felizes ao verem os pobres começarem a comer. Mas não, eles se incomodam. Eles preferiam um avião vazio, com meia dúzia de ricos", complementou Lula, antecessor de Dilma na presidência da República.



Fonte:http://esportes.br.msn.com/futebol/lula-critica-vaias-a-dilma-na-abertura-da-copa-dinheiro-n%C3%A3o-d%C3%A1-educa%C3%A7%C3%A3o-1

Dilma é xingada no berço eleitoral de Aécio durante Colômbia x Grécia




Da mesma forma que aconteceu no jogo de abertura da Copa do Mundo, a presidente da República, Dilma Rousseff, foi xingada neste sábado, durante o jogo entre Colômbia e Grécia, no Mineirão.

O coro de parte da torcida, já que a maioria do estádio era colombiana, aconteceu no fim da partida com os gritos de 'ei, Dilma, vai tomar no c...'.

O palco do duelo entre Colômbia e Grécia fica, coincidentemente, no berço eleitoral de Aécio Neves. Ele é senador por Minas Gerais e governou o Estado entre 2003 e 2010. Também exerceu quatro mandatos de deputado federal, entre 1987 e 2003.

Aécio é o principal adversário de Dilma na eleição presidencial deste ano. O senador teve seu nome oficializado neste sábado como candidato do PSDB em convenção nacional dos tucanos em São Paulo.

Já Dilma é mineira e nasceu em Belo Horizonte, mas tem sua vida política ligada ao Rio Grande do Sul, onde foi secretária de Minas e Energia do Estado em duas oportunidades antes de virar ministra no governo de Lula entre 2003 e 2010.

O jogo do Mineirão, contudo, representou mais uma festa para os colombianos, que lotaram o estádio. A seleção sul-americana correspondeu e estreou com um triunfo por 3 a 0 sobre a Grécia.



Fonte: http://esportes.br.msn.com/futebol/dilma-%C3%A9-xingada-no-ber%C3%A7o-eleitoral-de-a%C3%A9cio-durante-col%C3%B4mbia-x-gr%C3%A9cia-1

Argentina pode ter mais torcida que Brasil nos estádios

Os argentinos podem levar mais público que o time da casa aos estádios na Copa do Mundo do Brasil...




Milhares de argentinos fizeram festa na orla da praia de Copacabana

Os argentinos podem levar mais público que o time da casa aos estádios na Copa do Mundo do Brasil.

Além de serem esperados 100 mil torcedores viajando para cá do Sul da fronteira brasileira e de 61.000 ingressos terem sido vendidos para a Argentina - menos apenas que Estados Unidos e que o próprio Brasil -, os ‘hermanos' devem jogar em estádios maiores até o final do Mundial.

Isso levando-se que vai acontecer o óbvio e a seleção brasileira se classificará em primeiro lugar no grupo A, que tem Croácia, México e Camarões e a Argentina conseguirá o mesmo no grupo F, com Bósnia-Herzegovina, Irã e Nigéria.

Como os lugares para todas as partidas dos dois times estão esgotados, a Argentina será vista por 442.100 pessoas se chegar à decisão e enfrentar a Bósnia no Maracanã, o Irã no Mineirão e a Nigéria no Beira-Rio, na primeira fase e passar das oitavas de final ao jogo do título, nesta ordem, por Arena Corinthians, Mané Garrincha, Arena Corinthians mais uma vez e Maracanã

O caminho verde-amarelo já teve a Croácia, na Arena Corinthians e será completado por México no Castelão e Camarões no Mané Garrincha. Das oitavas em diante, sempre considerando a equipe de Felipão como líder de sua chave, os jogos serão no Mineirão, no Castelão, no Mineirão novamente, até a grande final, no Maracanã. Serão ao todo 441.680 pessoas vendo uma eventual campanha até a decisão do Brasil.





Fonte:http://esportes.br.msn.com/copa-2014/noticias/argentina-pode-ter-mais-torcida-que-brasil-nos-est%C3%A1dios

Seleção colombiana envia queixa à Fifa por tratamento da polícia em São Paulo







A seleção colombiana enviou uma queixa oficial à Fifa devido ao tratamento que recebeu da Polícia Federal de São Paulo no traslado desde Belo Horizonte, onde esteve neste sábado para a disputa de sua primeira partida na Copa do Mundo. Os sul-americanos bateram a Grécia por 3 a 0, no Mineirão.

A delegação relatou ter sofrido agressões verbais e um tratamento desrespeitoso por parte de alguns membros da polícia no caminho entre o aeroporto de Congonhas e o Centro de Treinamento do São Paulo, em Cotia.

Membros da comissão técnica, incluindo o treinador José Pekerman, reclamavam da lentidão da escolta do ônibus, o que teria causado o desentendimento.

"A seleção colombiana de futebol lamenta as ações do pessoal da Polícia Federal do Estado de São Paulo designado para a segurança da delegação, que, em reiteradas ocasiões e com agravantes durante as últimas horas, causou mal-estar nos jogadores e no corpo técnico", indica um comunicado.

"A Federação escreveu à Fifa em busca da solução imediata dos fatos", conclui a nota

Fonte:http://esportes.br.msn.com/copa-2014/noticias/sele%C3%A7%C3%A3o-colombiana-envia-queixa-%C3%A0-fifa-por-tratamento-da-pol%C3%ADcia-em-s%C3%A3o-paulo


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Funcionários do Fifa Fan Fest são flagrados rodando catracas



Quando deixava o Fifa Fan Fest Rio, na praia de Copacabana, no meio do segundo tempo do jogo de abertura da Copa do Mundo entre Brasil e Croácia , a fotógrafa Paula Kossatz se deparou com uma cena estranha: um grupo de funcionários da produção do evento rolava as catracas de entrada no espaço, de forma ininterrupta. Rapidamente, ela sacou o celular e registrou a cena. Questionado por um amigo dela, um dos funcionários teria afirmado que muita gente entrou sem passar pela roleta e eles estariam restabelecendo a contagem correta.

- Isso era impossível. Para entrar, tinha que passar pela roleta e pelo detector de metais. Não dava -afirma Paula.

Ela postou a gravação em sua página no Facebook na madrugada desta sexta-feira e, no começo da tarde, o vídeo já tinha mais de dois mil compartilhamentos. "Voluntários, aproveitando que o torcedor estava distraído lá dentro, giravam desesperadamente as roletas para aumentar, fraudando mesmo, o número do público presente", escreveu ela.

No meio da manhã, Flávio Machado, um homem que se identificou como responsável pela empresa organizadora do evento, procurou-a em uma mensagem privada. Segundo Paula, entre outras coisas, ele teria dito: "Cuidado com o que você escreve. Infelizmente, a internet está cheia dessa coisas. É claro que o que aconteceu não foi isso".

- Me senti intimidada. Isso, para mim, soa como ameaça. Em outra mensagem, ele disse que o contador tinha zerado por causa de um erro no sistema e que, por isso, eles estariam rodando a catraca. Se é isso mesmo, é só provar. A desculpa é meio absurda. Lógico que há uma outra maneira de fazer essa contagem... Imagina num jogo do Maracanã? -questionou Paula. -Todo mundo sabe o quanto a imagem da Fifa tá queimada nessa Copa do Mundo . Como o espaço não é pago, me parece que é uma questão moral, de provar que teve aquela quantidade de pessoas ali dentro, que foi um baita sucesso.

Pico de luz - A empresa organizadora do evento, SRCom, afirmou, por meio de nota oficial, que o episódio foi provocado por um pico de luz. A assessoria de imprensa confirmou que Flávio Machado é um dos sócios da produtora.

"O Fifa Fan Fest Rio reuniu 20 mil pessoas na Praia de Copacabana no primeiro dia da Copa do Mundo (...). Devido a um pico de luz no portal de entrada durante o segundo tempo do jogo entre Brasil e Croácia , o contador eletrônico das catracas zerou. Por uma questão de segurança, a organização do Fifa Fan Fest Rio optou por girar as catracas até que elas alcançassem o número do último registro. Para controle, a organização anota as parciais das catracas a cada dez minutos. Vale lembrar que as catracas servem para um controle interno e que a organização dispõe de outros mecanismos de controle de lotação do espaço, que tem capacidade máxima de 20 mil pessoas. No primeiro dia de funcionamento, a arena do Fifa Fan Fest Rio ficou lotada e outras 5 mil pessoas ocuparam a área próxima ao segundo telão, em frente à rua Fernando Mendes, a um quilômetro do telão principal", diz a nota oficial. 


Fonte:http://www.espbr.com/noticias/funcionarios-fifa-fan-fest-sao-flagrados-rodando-catracas  

Barbosa nega pedido de Valério para pagar multa com bens bloqueados



O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, rejeitou hoje (13) pedido do empresário Marcos Valério para desbloquear seus bens para pagar a multa de R$ 4,44 milhões, definida na condenação a 37 anos e cinco meses de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Segundo Barbosa, os bens de Valério devem continuar indisponíveis para que sejam usados no ressarcimento dos cofres públicos.

A defesa do empresário alega que ele não tem como pagar a multa porque suas contas bancárias estão bloqueadas. Para Barbosa, a medida adequada é venda de imóveis comprados por Valério e a transferência dos valores para os cofres públicos.

“O objetivo da medida constritiva consistiu em tornar indisponíveis os bens adquiridos no período da prática dos delitos, bem como bloquear o levantamento dos valores existentes nas contas das empresas envolvidas nos crimes apurados na Ação Penal 470. Assim, não pode o apenado pretender obter a liberação dos valores contidos na conta da empresa 2S Participações, que foram bloqueados para impedir que o acusado obtivesse proveito econômico com a prática dos delitos”, decidiu Barbosa.



Fonte:http://noticias.br.msn.com/brasil/barbosa-nega-pedido-de-val%C3%A9rio-para-pagar-multa-com-bens-bloqueados

Imprensa internacional critica a abertura da Copa


Imprensa internacional critica a abertura da Copa
Cerimônia no Itaquerão, em São Paulo, decepciona e vira piada mundial



 Não foram só os brasileiros que ficaram decepcionados com a abertura da Copa em São Paulo. No mundo inteiro, a imprensa comenta os pontos fracos da cerimônia no Itaquerão.

Os veículos reclamam, principalmente, do excesso de números de dança e fazem piadas com a apresentação de J.Lo, Claudia Leitte e Pit Bull, que cantaram em playback. Confira:

“Se você está no Brasil e sabe dançar, entre em contato com a organização e eles vão arrumar um lugar pra você na cerimônia de encerramento” – BBC

“Eles ainda estão dançando. Imagine a cerimônia de abertura das Olímpiadas de Londres, em 2012, mas com pelos menos 90% de pessoas a menos. Ou fogos de artifícios. Ou banda. Ou qualquer coisa realmente impressionante” – BBC

"A bola abriu. Claudia Leitte, intérprete da música oficial, surgiu de dentro dela. Ela estava cantando sozinha até que, do meio do nada, J.LO e um homem chamado de Pitbull surgiram debaixo da órbita para se juntarem a ela. Eles ficaram ali por um tempo” – The Guardian

“Está tudo muito bonito, mas eu não consigo parar de pensar que teria sido melhor se eles tivessem colocado o Neymar em campo pra fazer duas horas de embaixadinhas, apenas. Ao invés disso, eles continuam dançando” – The Guardian

“Agora tem uns barcos em campo. O foco é a Amazônia. Um garoto está sendo carregado no ar dentro de um barco de madeira e está dando um show fingindo que rema” – The Guardian

“A cerimônia de abertura da Copa confirma que tem mais conexão de internet em um barco no Amazonas do que na Arena Corinthians. Nem o Tinder Funciona” – El Mundo

“Tem umas garotas de rosa pulando em uma cama elástica. Na tribuna as pessoas desistiram de buscar uma interpretação” – El Mundo


Foto:http://vejasp.abril.com.br/materia/imprensa-internacional-critica-a-abertura-da-copa?utm_source=redesabril_vejasp&utm_medium=facebook&utm_campaign=vejasp

Trabalhadores dizem ter ganho R$ 140 de empreiteiras para ficar na plateia durante evento com Dilma




Durante o evento de inauguração do BRT Transcarioca (corredor exclusivo de ônibus), só puderam acompanhar o discurso da presidente Dilma Rousseff convidados e trabalhadores da obra, munidos de bandeiras do Brasil nas mãos.


Eram cerca de 150 trabalhadores, contados pela reportagem. À Folha, eles contaram que receberam uma diária para ir ao evento: R$ 140. O valor é maior do que em um dia normal de trabalho, já que, por ser um domingo, está embutido o adicional de 50% de hora extra.


Fonte:http://www.folhapolitica.org/2014/06/trabalhadores-dizem-ter-ganho-r-140-de.html

Cajuru " Já está programado para o Brasil ser campeão"


Dilma é xingada pela torcida na abertura da Copa do Mundo











O esforço de esconder a presidente Dilma Rousseff do público no estádio da abertura da Copa do Mundo não deu resultado. Poucos minutos depois que a presidente chegou ao Itaquerão para a festa de abertura do Mundial, o estádio xingou Dilma. "Ei, Dilma, vai tomar no c*", entoavam os torcedores. Em algumas partes do estádios, os gritos foram dirigidos contra a Fifa.



Fonte:http://www.folhapolitica.org/2014/06/dilma-e-xingada-pela-torcida-na.html

Cajuru a "COPA MAIS IMUNDA DA HISTÓRIA"


quinta-feira, 12 de junho de 2014

Primeira manifestação contra a Copa em São Paulo deixa 7 feridos



Pelo menos sete pessoas, entre elas duas jornalistas da rede de televisão "CNN", ficaram feridos nos confrontos registrados nesta quinta-feira na cidade de São Paulo entre a Polícia e manifestantes que se opõem à organização da Copa do Mundo no Brasil.

Os manifestantes saíram para a rua cedo, cerca de seis horas antes da partida entre Brasil e Croácia que abre o Mundial, mas foram reprimidos pela Polícia quando tentaram bloquear uma importante via.

Foi o primeiro dos diversos protestos que se esperam para hoje em várias cidades do país em coincidência com o início do Mundial por parte dos grupos que criticam as altas despesas do governo na competição.

Em um primeiro confronto, cerca de 150 homens da Tropa de Choque da Polícia Militarizada do estado de São Paulo dispersaram com gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral a um grupo de 200 manifestantes que tentava bloquear a avenida Radial Leste, a principal via de acesso à Arena Corinthians.

A Polícia deteve um dos participantes do protesto que tentou frear o avanço dos policiais que, em fila, andavam com escudos rumo aos manifestantes, que se concentraram inicialmente em frente à estação Carrão do metrô, na zona leste de São Paulo, para onde foram convocados através das redes sociais.

Neste primeiro incidente ficaram feridas duas jornalistas da "CNN". A produtora da rede de televisão americana em São Paulo, Barbara Arvanitidis, de nacionalidade canadense, foi ferida em um braço embora sem gravidade enquanto cobria o protesto.

E a correspondente da "CNN", Shasta Darlington, também ficou levemente ferida com alguns arranhões como consequência de uma queda durante a confusão.

Algumas das pessoas que se dispersaram se dirigiram rumo à estação de Tatuapé do metrô, a poucas ruas e onde um grupo de funcionários do metrô de São Paulo estava concentrado em uma manifestação contra a demissão de 42 trabalhadores da companhia.
publicidade

Os funcionários do metrô, que chegaram a ameaçar com uma paralisação no dia inaugural do Mundial e finalmente desistiram, convocaram diferentes protestos para exigir que a companhia readmita os despedidos.

A manifestação dos funcionários do metrô foi reforçada por vários jovens, vários dos quais encapuzados e vestidos de preto, que fazem parte do chamado Black Bloc, um grupo que defende o uso da violência nas manifestações.

Desde o novo ponto de concentração dos manifestantes um grupo tentou novamente avançar rumo à Radial leste, por isso que a Polícia teve que voltar a reprimir os participantes do protesto com gás lacrimogêneo, balas de borracha e bombas de efeito moral.

Os confrontos envolveram um pequeno grupo mais radical, que acendeu fogueiras com lixo e protagonizou atos de vandalismo, devido a que os trabalhadores do metrô e manifestantes de outros grupos preferiram desistir do protesto.

Os manifestantes foram finalmente dispersados totalmente por volta do meio-dia, quando vários torcedores já começavam a se deslocar de metrô ou a pé rumo à Arena Corinthians.

A Polícia, no entanto, está atenta a outras manifestações previstas em outros locais de São Paulo e em várias cidades do país em coincidência com a cerimônia de abertura do Mundial.

As autoridades admitiram sua preocupação com as manifestações contra a Copa, mas esperam que sejam de menor magnitude que as registradas no ano passado, quando milhões de brasileiros saíram às ruas para exigir melhores serviços públicos em coincidência com a Copa das Confederações da Fifa.

O governo disse que tolerará as manifestações desde que não sejam violentas e desde que não ameacem a locomoção rumo aos estádios em que será disputado o Mundial.



Fonte:http://esportes.terra.com.br/futebol/copa-2014/primeira-manifestacao-contra-a-copa-em-sao-paulo-deixa-7-feridos,9ed1aa2adf096410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html

Milton Hatoum: Copa do Mundo não é prioridade para o Brasil


O escritor amazonense Milton Hatoum, mundialmente conhecido por sua obra publicada em 14 países e traduzida em 12 idiomas, não está empolgado com a Copa do Mundo no Brasil, principalmente, em Manaus.

— A Copa não é prioridade para o Brasil, nunca foi. Essa foi uma decisão precipitada e irrefletida. Há uma enorme carência de cidadania nesse país que não será resolvida com partidas de futebol — afirma.

Hatoun, que passou boa parte da infância e da juventude na capital amazonense, reclama que os governantes nunca olham para as necessidades reais da população:

— Os governantes constroem um estádio em uma cidade como Manaus, que não tem tradição de futebol; gastam o dinheiro público que deveria ser investido para dar mais qualidade de vida à população e acham que fizeram o melhor em seu governo. Isso é irracional.

Para o escritor, Manaus, assim como tantas outras cidades que vão sediar o Mundial, possui problemas gravíssimos, como falta de saneamento básico, habitação, educação, transporte público e emprego.

— A Copa é, simplesmente, um absurdo. Não posso concordar com isso. Manaus é uma cidade que foi abandonada por muitas prefeituras. Uma cidade em que a maioria dos bairros não possui saneamento básico ou calçadas — desabafa.

Morando em São Paulo desde 1998, Hatoun conta que quando vem a Manaus não encontra progresso ou melhorias.

— Manaus tem zonas pobres e carentes em que você encontra pessoas passando fome. Não me digam que essa não é a realidade. Eu vi de perto, em minha última ida à cidade, pessoas passando necessidades em um bairro carente, o Nova Cidade. Bairros com escolas precárias, sem uma boa biblioteca. Qual a necessidade de uma cidade como Manaus ter um estádio luxuoso e caríssimo se a metros dele há um bairro, como o Alvorada, que não tem estrutura, calçadas e tratamento de esgoto? — questiona.


Hatoun também critica a falta de arborização na cidade, do cuidado com o meio ambiente. As altas temperaturas preocupam as seleções.

— Não dá pra dizer que isso é uma coisa da natureza, que Manaus é quente apenas pelo clima. Essa é uma cidade que não se planeja. Manaus é devastada, não possui árvores, uma sombra. Isso se resolve plantando, educando, cuidando. Coisa que os governantes não fazem, e a população também tem sua parcela de culpa.

Para a cidade, afirma, ficará a conta negativa:

— Os nossos impostos vão pagar os gastos desse Mundial. E as prioridades da cidade ficarão em segundo plano. 



Fonte:http://www.antp.org.br/website/noticias/show.asp?npgCode=0C051110-4CB4-4688-84A3-F0E5536601BE

OAB repudia Barbosa: ‘sequer a ditadura chegou tão longe’



Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) emitiu nesta quarta-feira uma nota de repúdio contra o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que mandou seguranças da Corte retirarem do plenário o advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende o ex-deputado José Genoino. “Sequer a ditadura militar chegou tão longe no que se refere ao exercício da advocacia. A OAB Nacional estudará as diversas formas de obter a reparação por essa agressão ao Estado de Direito e ao livre exercício profissional. O presidente do STF não é intocável e deve dar as devidas explicações à advocacia brasileira”, diz a nota.

Barbosa deu a ordem após Pacheco subir à tribuna para pedir que o presidente libere para julgamento o recurso no qual Genoino diz que tem complicações de saúde e precisa voltar a cumprir prisão domiciliar. No momento, os ministros estavam julgando a mudança no tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados.



Leia a nota completa:

A diretoria do Conselho Federal da OAB repudia de forma veemente a atitude do presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, que expulsou da tribuna do tribunal e pôs para fora da sessão mediante coação por segurança o advogado Luiz Fernando Pacheco, que apresentava uma questão de ordem, no limite da sua atuação profissional, nos termos da Lei 8.906. O advogado é inviolável no exercício da profissão. O presidente do STF, que jurou cumprir a Carta Federal, traiu seu compromisso ao desrespeitar o advogado na tribuna da Suprema Corte. Sequer a ditadura militar chegou tão longe no que se refere ao exercício da advocacia. A OAB Nacional estudará as diversas formas de obter a reparação por essa agressão ao Estado de Direito e ao livre exercício profissional. O presidente do STF não é intocável e deve dar as devidas explicações à advocacia brasileira.
publicidade

O mensalão do PT
Em 2007, o STF aceitou denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no suposto esquema denunciado em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e que ficou conhecido como mensalão. Segundo ele, parlamentares da base aliada recebiam pagamentos periódicos para votar de acordo com os interesses do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Após o escândalo, o deputado federal José Dirceu deixou o cargo de chefe da Casa Civil e retornou à Câmara. Acabou sendo cassado pelos colegas e perdeu o direito de concorrer a cargos públicos até 2015.

No relatório da denúncia, a Procuradoria-Geral da República apontou como operadores do núcleo central do esquema José Dirceu, o ex-deputado e ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e o ex- secretário-geral Silvio Pereira. Todos foram denunciados por formação de quadrilha. Dirceu, Genoino e Delúbio responderam ainda por corrupção ativa.

Em 2008, Sílvio Pereira assinou acordo com a Procuradoria-Geral da República para não ser mais processado no inquérito sobre o caso. Com isso, ele teria que fazer 750 horas de serviço comunitário em até três anos e deixou de ser um dos 40 réus. José Janene, ex-deputado do PP, morreu em 2010 e também deixou de figurar na denúncia.

O relator apontou também que o núcleo publicitário-financeiro do suposto esquema era composto pelo empresário Marcos Valério e seus sócios (Ramon Cardoso, Cristiano Paz e Rogério Tolentino), além das funcionárias da agência SMP&B Simone Vasconcelos e Geiza Dias. Eles responderam por pelo menos três crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A então presidente do Banco Rural, Kátia Rabello, e os diretores José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório foram denunciados por formação de quadrilha, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. O publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, respondem a ações penais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O ex-ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) Luiz Gushiken é processado por peculato. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) respondeu processo por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia incluía ainda parlamentares do PP, PR (ex-PL), PTB e PMDB. Entre eles o próprio delator, Roberto Jefferson. Em julho de 2011, a Procuradoria-Geral da República, nas alegações finais do processo, pediu que o STF condenasse 36 dos 38 réus restantes. Ficaram de fora o ex-ministro da Comunicação Social Luiz Gushiken e o irmão do ex-tesoureiro do Partido Liberal (PL) Jacinto Lamas, Antônio Lamas, ambos por falta de provas.

A ação penal começou a ser julgada em 2 de agosto de 2012. A primeira decisão tomada pelos ministros foi anular o processo contra o ex-empresário argentino Carlos Alberto Quaglia, acusado de utilizar a corretora Natimar para lavar dinheiro do mensalão. Durante três anos, o Supremo notificou os advogados errados de Quaglia e, por isso, o defensor público que representou o réu pediu a nulidade por cerceamento de defesa. Agora, ele vai responder na Justiça Federal de Santa Catarina, Estado onde mora. Assim, restaram 37 réus no processo.



Fonte:http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/julgamento-do-mensalao/oab-repudia-barbosa-sequer-a-ditadura-chegou-tao-longe,5822d7da69c86410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Duas jornalistas da CNN são feridas em manifestação em São Paulo









Duas jornalistas da CNN foram feridas em confronto da Tropa de Choque da Polícia Miliar com um grupo de manifestantes que protestam contra a Copa do Mundo, em São Paulo.

Segundo a CNN, a polícia usou gás lacrimogêneo contra o grupo que tentava bloquear pistas próximas à Arena Corinthians, o Itaquerão. De acordo com a CNN, a repórter Shasta Darlington sofreu um pequeno corte no braço e a produtora Barbara Arvanitidis foi atingida no pulso.



Duas jornalistas da CNN foram feridas em confronto da Tropa de Choque da Polícia Miliar com um grupo de manifestantes que protestam contra a Copa do Mundo, em São Paulo.
Segundo a CNN, a polícia usou gás lacrimogêneo contra o grupo que tentava bloquear pistas próximas à Arena Corinthians, o Itaquerão. De acordo com a CNN, a repórter Shasta Darlington sofreu um pequeno corte no braço e a produtora Barbara Arvanitidis foi atingida no pulso.
Cerca de 200 pessoas participam do ato Sem Direitos Não Vai Ter Copa, organizado pelas redes sociais. Os policiais atiraram várias bombas de efeito moral para conter os manifestantes, que estão na Rua Apucarana, nas imediações da Estação Carrão do Metrô de São Paulo. Os policiais cercaram a estação e tentam evitar que o protesto chegue até a Avenida Radial Leste.
Defensores públicos da Comissão Especial para a Copa do Mundo da Fifa 2014 acompanham o protesto com o objetivo de garantir o direito a manifestação. Segundo o defensor Jiancarlo Silkunas, esse direito não está sendo respeitado.
Ainda segundo a Defensoria Pública de São Paulo, a situação está mais crítica perto da estação do metrô, e a Polícia Militar já avisou que irá coibir qualquer manifestação que saia do Sindicato dos Metroviários.
A Defensoria Pública informou que, se for confirmado abuso da política nas manifestações, poderá entrar com ação individual na Justiça para pedir indenização do estado. A Defensoria Pública já entrou com uma ação civil pública em que pede à Justiça a determinação de uma série de medidas para coibir excessos por parte de policiais em manifestações públicas, como uso de gás lacrimogêneo e balas de borracha. A ação também requer o pagamento de indenização por danos morais coletivos pela Fazenda do estado por causa de abusos em oito diferentes manifestações já ocorridas. Se concedida, a indenização será revertida ao Fundo Estadual de Defesa dos Direitos Difusos. A ação ainda não foi analisada pela Justiça.
Cerca de 200 pessoas participam do ato Sem Direitos Não Vai Ter Copa, organizado pelas redes sociais. Os policiais atiraram várias bombas de efeito moral para conter os manifestantes, que estão na Rua Apucarana, nas imediações da Estação Carrão do Metrô de São Paulo. Os policiais cercaram a estação e tentam evitar que o protesto chegue até a Avenida Radial Leste.

Defensores públicos da Comissão Especial para a Copa do Mundo da Fifa 2014 acompanham o protesto com o objetivo de garantir o direito a manifestação. Segundo o defensor Jiancarlo Silkunas, esse direito não está sendo respeitado.

Ainda segundo a Defensoria Pública de São Paulo, a situação está mais crítica perto da estação do metrô, e a Polícia Militar já avisou que irá coibir qualquer manifestação que saia do Sindicato dos Metroviários.

A Defensoria Pública informou que, se for confirmado abuso da política nas manifestações, poderá entrar com ação individual na Justiça para pedir indenização do estado. A Defensoria Pública já entrou com uma ação civil pública em que pede à Justiça a determinação de uma série de medidas para coibir excessos por parte de policiais em manifestações públicas, como uso de gás lacrimogêneo e balas de borracha. A ação também requer o pagamento de indenização por danos morais coletivos pela Fazenda do estado por causa de abusos em oito diferentes manifestações já ocorridas. Se concedida, a indenização será revertida ao Fundo Estadual de Defesa dos Direitos Difusos. A ação ainda não foi analisada pela Justiça.

Ato contra Copa tem novo confronto com PM; duas jornalistas já foram feridas .




Protesto anti-Mundial se dispersa na Zona Leste; manifestantes se concentram agora na estação Tatuapé do metrô

Após embates com policiais militares nas imediações da estação Carrão do metrô, manifestantes do Sem Direitos Não Vai ter Copa agora se encontram na estação Tatuapé do metrô, que permanece fechada.

No momento, policiais militares bloqueiam a entrada de manifestantes e torcedores. Em nota sobre os embates que aconteceram mais cedo, a Polícia Militar informa que “agiu para impedir que baderneiros fechassem a Radial Leste, o que afetaria o direito de ir e vir de milhares de pessoas, inclusive aquelas que vão assistir à abertura da Copa do Mundo”.

Após confronto, quando lixo foi atirado nas ruas e placas e outras estruturas públicas, como postes e lixeiras, foram depredados e transformados em barricada numa das vias, black blocks se dispersaram e tentaram ocupar a Radial Leste. A via é a principal conexão entre as delegações e a Arena Corinthians, que em algumas horas sedia o evento de abertura da Copa.

Até o momento, há registro de duas jornalistas da rede norte-americana CNN feridas - a repórter Shasta Darlington sofreu um pequeno corte no braço e a produtora Barbara Arvanitidis foi atingida no pulso. Ambas foram socorridas por homens do Corpo de Bombeiros. Militantes da manifestação foram presos. A estação Carrão e ruas no entorno dos protestos estão fechadas.

A manifestação pacífica do sindicato dos metroviários, iniciada na manhã desta quinta-feira (12) pela reintegração dos funcionários demitidos na última segunda-feira (9), foi encerrada mais cedo por líderes da categoria por conta do tumulto gerado pelo ato que acontecia em paralelo.

"Não queremos ser escudo contra polícia para ninguém", disse um dos representantes sindicais desde o carro de som.


Fonte:http://copadomundo.ig.com.br/2014-06-12/protesto-contra-copa-do-mundo-comeca-com-confronto-na-zona-leste-de-sp.html

Copa de 2014 será a mais cara da história



A Copa de 2014 será a mais cara da história. Em comparação com as duas últimas edições, o valor já é três vezes maior do que da Alemanha em 2006 e quatro vezes o que foi gasto na África do Sul em 2010. O lucro da FIFA também atinge recorde e dobra em relação à previsão feita inicialmente, em 2011.

O levantamento foi feito pelo jornal O Estado de S.Paulo. Segundo a publicação, o governo brasileiro já admite que a Copa do Mundo de 2014 sairá mais cara do que o previsto. Na última terça-feira (18/06), o secretário executivo do Ministério dos Esportes, Luis Fernandes, revelou que o valor subirá para R$ 28 bilhões em julho. O que representa um aumento de mais de 10% em comparação com a última previsão, feita em abril, que apontava um custo total de R$ 25,5 bilhões. Se comparado com previsões de 2011, a conta cresceu R$ 6 bilhões, contabilizando uma inflação de 27%.



O discurso é de que o valor ainda está abaixo do teto estabelecido em 2010, de R$ 33 bilhões. Entre os motivos alegados, estão o incremento no custo do Maracanã, no Rio de Janeiro e do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Oito horas depois da declaração, o governo explicou em nota que “não houve, portanto, aumento de orçamento, e sim evolução nos investimentos”. No início, os estádios custariam R$ 5,5 bilhões. Hoje, o previsto é de mais de R$ 7,1 bilhões. Só o custo do estádio de Brasília já o coloca entre os dez mais caros do mundo.

O grande argumento de Fernandes e da própria FIFA é do legado que o evento deixará para o Brasil, com investimentos em infraestrutura, mobilidade urbana e outros setores. Para o secretario executivo, o Brasil vive uma oportunidade histórica para o desenvolvimento do país. “É muito mais fácil liberar recursos com Copa que em outro momento”, explicou.




Ano

País

Valor


2002

Japão e Coreia

R$ 10,1 bilhões


2006

Alemanha

R$ 10,7 bilhões


2010

África do Sul

R$ 7,3 bilhões


2014

Brasil

R$ 33 bilhões (previsão)


Sobre as manifestações e protestos contra os gastos elevados com as obras do Mundial, ele acredita que não existe uma “oposição generalizada” no Brasil em relação ao torneio e atenta para “setores desinformados, que não estão recebendo informações adequadas”.

Segundo Fernandes, R$ 9 bilhões dos R$ 28 bilhões serão destinados para o transporte público e 51 obras de mobilidade urbana em todo o Brasil. Do total, cerca de R$ 3,8 bilhões será dinheiro privado.

O Comitê Local, por sua vez, apresenta um estudo de uma consultoria para provar que é válido organizar a Copa do Mundo aqui. O material aponta que os investimentos proporcionarão um fluxo de R$ 112 bilhões no país, além de um aumento de renda de R$ 63 bilhões.

Entretanto, não é apenas a quantia de dinheiro que sai dos cofres brasileiros que aumenta. O lucro da FIFA também vem explodindo com a Copa brasileira. Na primeira avaliação, realizada em 2011, a FIFA projetava que teria um gasto de U$3,2 bilhões para organizar o Mundial e apresentaria uma receita de U$ 3,6 bilhões. Com a proximidade do evento, a realidade já supera qualquer expectativa. O secretário-geral da FIFA, Jerôme Valcke, confessa que a renda superará o valor de U$ 4 bilhões, dobrando o lucro da entidade com a Copa. Além disso, o governo concederá uma isenção de impostos de R$ 1 bilhão.

O lucro no Brasil é mais de duas vezes superior ao que FIFA teve com a Copa de 2006 na Alemanha e três vezes o valor da África do Sul, em 2010.

Imprensa internacional critica infraestrutura brasileira para a Copa





Notícias sobre a Copa do Mundo no Brasil estampam capas e os sites da imprensa internacional pelo mundo. Com a manchete “A Copa mais realista do Brasil” o jornal espanhol El País destaca nesta quinta-feira (12) os seis anos e sete meses entre a eleição do Brasil para sediar o Mundial e o início do torneio.

“Além de apaixonados por futebol, os pentacampeões ouviram adjetivos desconfortáveis, como corruptos, acomodados, ingênuos, incompetentes e despreparados. A exposição dos erros com o Mundial tirou os brasileiros da inércia e promoveu uma onda de protestos inédita, que começaram há exatamente um ano, em junho de 2013, quando milhões de brasileiros saíram para protestar por transporte, saúde e educação de qualidade”, diz o jornal.

O francês Le Monde descreve São Paulo como uma selva de pedras “sempre em busca de seus limites entre luxo e miséria gigantismo”. O periódico francês também lembra os protestos em junho de 2013 de e a “confusão causada pela greve dos metroviários” alguns dias antes do início do Mundial.

O Le Monde também destaca os R$ 820 milhões gastos na construção do Itaquerão (Arena Corinthians), estádio que vai receber os jogos da Copa na capital paulista. “O suficiente para alimentar a amargura de diversos movimentos sociais”, diz matéria publicada hoje.

Esta semana o The New York Times destacou uma "ansiedade profunda" entre os brasileiros, em meio aos preparativos para a Copa e a crise econômica. O jornal norte-americano falou ainda que com realização do Mundial no Brasil existe uma "sensação de mal-estar", que reflete as reivindicações crescentes da classe média por serviços melhores.

já o jornal inglês The Economist critica a falta de alternativas a táxis em Guarulhos e destaca que a esperança era um trem que ligaria o aeroporto à cidade ,mas a obra não foi feita. “Na verdade, apenas cinco das 35 obras prometidas de mobilidade urbana para a Copa do Mundo foram concluídas ao redor do país", diz o jornal.


Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2014-06/imprensa-internacional-critica-infraestrutura-brasileira-para-copa

Argentino é agredido em Belo Horizonte ao segurar bandeira do país



Torcedores tentam pegar ingressos para assistir ao treino da Argentina

O argentino Ruben Lucero foi agredido na noite desta terça-feira na capital mineira. O torcedor teve o dedo quebrado em uma confusão com alguns brasileiros que tentavam arrancar uma bandeira de seu país que segurava em suas mãos. Ele foi levado ao hospital de Pronto-Socorro João XXIII e deve passar por uma cirurgia ainda hoje.

Ainda não houve registro de boletim de ocorrência sobre o caso. A assessoria de imprensa do hospital afirma que Lucero chegou por volta das 21 horas, com uma fratura no dedo indicador e que está internado para ser operado. Mais tarde haverá outras informações sobre o procedimento.

Em entrevista para a Rede Globo, ele contou que estava com sua esposa, um amigo e sua filha passeando de carro quando colocou a bandeira para o lado de fora. Três homens se aproximaram e tentaram retirar o objeto à força. O argentino mora em Belo Horizonte há dois anos. "É um absurdo. Não posso mostrar a minha bandeira?", disse indignado.

A seleção de Lionel Messi chegou ao Brasil na última segunda-feira e está hospedada na Cidade do Galo, centro de treinamento do Atlético-MG. Muitos torcedores estão eufóricos com a presença da estrela do Barcelona na cidade. Cerca de 5 mil pessoas conseguiram garantir ingressos para assistir ao primeiro treino aberto da equipe nesta tarde, às 18 horas, na Arena Independência. Na distribuição de bilhetes, não houve confusão.



Fonte:http://espn.uol.com.br/noticia/417242_argentino-e-agredido-em-belo-horizonte-ao-segurar-bandeira-do-pais

Protestos devem acontecer no Brasil inteiro, no dia da abertura da Copa






Protestos ocorreram em frente ao hotel da seleção em Goiânia, palco do amistoso entre Brasil e Panamá

Entre organizações definidas, e manifestantes isolados, diversos protestos contra a Copa devem marcar esta quinta-feira, dia de abertura da Copa do Mundo de 2014, na Arena Corinthians, em São Paulo.

Organizações como, Contra Copa 2014, Território livre, Anonymous Brasil, Não Vai Ter Copa, Partido Pirata, Comitê Popular da Copa de São Paulo e Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo, já anunciaram protestos neste dia 12 de junho.

O maior deles deve ocorrer em São Paulo, próximo ao metrô Carrão, com provável direção à Arena Corinthians, onde Brasil e Croácia fazem a abertura da Copa do Mundo. Denominado "Grande ato 12 de junho não vai ter Copa!", o protesto está anunciado nas redes sociais, e já tem quase 8 mil manifestantes confirmados.



Fonte:http://espn.uol.com.br/noticia/417099_protestos-devem-acontecer-no-brasil-inteiro-no-dia-da-abertura-da-copa

Claudio Vitorino em ação..

Postagens populares

Google+ Followers

Arquivo do blog

Claudio Vitorino em ação..

Aquele que acredita que o interesse coletivo está acima do interesse individual , que acredita que tudo e possível desde que tenha fé em Deus e coragem para superar os desafios...

Vida difícil? Ajude um estranho .

Pode parecer ilógico -no mínimo pouco prioritário- ajudar um estranho quando as coisas parecem confusas na nossa vida. Mas eu venho aprendendo que este é um poderoso antídoto para os dias em que tudo parece fora do lugar.

Como assim, pergunta o meu leitor mais cético? E eu explico:
Há duas situações clássicas onde podemos auxiliar uma pessoa que não conhecemos. A primeira é através de doações e gestos similares de caridade. Estes atos são maravilhosos e muito recomendáveis, mas não é deles que quero falar hoje.


Escolhi o segundo tipo: aquelas situações randômicas onde temos a oportunidade de fazer a diferença para uma pessoa desconhecida numa emergência qualquer. Na maioria das vezes, pessoas com quem esbarramos em locais públicos, envolvidas em situações que podem ir do estar atrapalhado até o precisar de mãos para apagar um incêndio.

E o que nós, imersos nas nossas próprias mazelas, distraídos por preocupações sem fim amontoadas no nosso tempo escasso, enfim, assoberbados como sempre... O que nós temos a ver com este ser humano que pode ser bom ou mau, pior, pode sequer apreciar ou reconhecer nosso esforço?


Eu vejo pelo menos seis motivos para ajudar um estranho:


1) Divergir o olhar de nossos próprios problemas
Por um momento, por menor que seja, teremos a chance de esquecer nossas preocupações.
Dedicados a resolver o problema do outro (SEMPRE mais fácil do que os nossos), descansamos nossa mente. Ganhamos energia para o próximo round de nossa própria luta.
Esta pausa pode nos dar novo fôlego ou simplesmente ser um descanso momentâneo.


2) Olhar por um outro ângulo
Vez ou outra, teremos a oportunidade de relativizar nossos próprios problemas á luz do que encontramos nestes momento. Afinal, alguns de nossos problemas não são tão grandes assim...
Uma vez ajudei Teresa, a senhora que vende balas na porta da escola de meu filho. A situação dela era impossível de ser resolvida sozinha, pois precisava “estacionar” o carrinho que havia quebrado no meio de uma rua deserta. Jamais esquecerei o olhar desesperado, a preocupação com o patrimônio em risco, com o dia de by Savings Sidekick">trabalho desperdiçado, com as providências inevitáveis e caras. E jamais me esquecerei do olhar úmido e agradecido, apesar de eu jamais ter comprado nada dela. Nem antes nem depois.
Olhei com distanciamento o problema de Teresa. E fiquei grata por não ter que trabalhar na rua, por ter tantos recursos e by Savings Sidekick">oportunidades. E agradeci por estar lá, naquela hora, na rua de pouco movimento, e poder oferecer meus braços para ela.


3) Não há antes, nem depois ...
Na intricada teia de nossos by Savings Sidekick">relacionamentos, dívidas e depósitos se amontoam. Ajudar um conhecido muitas vezes cria vínculos ou situações complexas. Ás vezes, ele espera retribuir. Outras vezes, esperamos retribuição. Se temos ressentimentos com a pessoa, ajudá-la nem sempre deixa um gosto bom na boca. Se ela tem ressentimentos conosco, fica tudo muito ruim também.
Já com estranhos são simples. É ali, naquela hora. Depois acabou. E não há antes. Que alívio!
(mas não vamos deixar de ajudar os conhecidos dentro de nossas possibilidades, hein?)


4) A gratidão pelo inesperado é deliciosa
Quem se lembra de uma vez em que recebeu uma gentileza inesperada? Não é especial? E nem sempre estamos merecendo, mal-humorados por conta do revés em questão.
Ou quando ajudamos alguém e recebemos aquele olhar espantado e feliz?
Ontem mesmo, eu estava numa fila comum de banco. Um senhor bem velhinho estava atrás de mim. Na hora em que fui chamada, pedi que ele fosse primeiro. “Mas por que, minha filha?”. “Pelos seus cabelos brancos”, respondi. Ele, agradecido, me deu uma balinha de hortelã. Tudo muito singelo, muito fácil de fazer, mas o sentimento foi boooom.


5) Quase sempre, é fácil de fazer.
Uma vez eu fiquei envolvida por uma semana com uma mãe e um bebê que vieram para São Paulo para uma cirurgia e não tinha ninguém para esperar no aeroporto. Levei para um hotel barato, acompanhei por uma semana e tive medo de estar sendo usada, reforçada pelo ceticismo de muitas pessoas ao meu redor. No final, deu tudo certo e a história era verdadeira.
Mas na maioria dos casos, não é preciso tanto risco ou tanto tempo. Uma informação; um abaixar para pegar algo que caiu; uma dica sobre um produto no supermercado. Dar o braço para um cego (nunca pegue a mão dele, deixe que ele pegue o seu braço, aprendi com meu experiente marido). Facílimo, diria o Léo. E vamos combinar, fácil é tudo que precisamos quando o dia está difícil, certo?

6) Amor, meu grande amor
Finalmente, ajudar estranhos evoca o nosso melhor eu. É comum termos sentimentos de inadequação, baixa auto-estima e insatisfação conosco quando estamos sob tempo nublado. E ajudar o outro nos lembra que somos bons e capazes. Ajudar um estranho demonstra desapego, generosidade, empatia pelo próximo. E saber que somos tudo isto quando o coração está cinza... É para olhar com orgulho no espelho, não?

Portanto, se hoje não é o seu dia... Faça o dia de alguém. E se é um dia glorioso... Vai ficar melhor!

Fonte:http://www.vivermaissimples.com/2011/03/vida-dificil-ajude-um-estranho.html

Karoline Toledo Pinto

Karoline Toledo Pinto
Karoline Agente Penitenciária a quase 10 anos , bacharelada no curso de Psicologia em uma das melhores Instituição de Ensino Superior do País , publica um importante ARTIGO SOBRE AS DOENÇAS QUE OS AGENTES PENITENCIÁRIOS DESENVOLVEM NO EXERCÍCIO DE SUAS FUNÇÕES . Aguardem em breve aqui será publicado .APESAR DAS PERSEGUIÇÕES INFUNDADAS DAS AMEAÇAS ELA VENCEU PARABÉNS KAROL SE LIBERTOU DO NOSSO MAIOR MEDO A IGNORÂNCIA CONTE COMIGO.. OBRIGADO CLAUDIO VITORINO

Filmes que mudarão sua vida..

  • A cor púrpora
  • A espera de um milagre
  • A procura da felicidade
  • A prova de fogo
  • Antes de partir
  • Desafiando gigantes
  • Ensina-me a viver
  • Paixão de Cristo

Postagens populares